Algarve Pirates anuncia desistência de jogar a LPFA 2017/2018

Algarve Pirates não reuniu atletas suficientes para disputar o certame lusitano. Foto Pirates/Divulgação

A pouco menos de um mês para o kickoff entre Lisboa Navigators e Porto Mutts, no relvado do Sport Futebol Palmense, em Lisboa, a equipe de Portimão, o Algarve Pirates anunciou há pouco que não irá mais participar da nona edição da Liga Portuguesa de Futebol Americano (LPFA).

Saiba como foi a temporada 2016/2017 da LPFA



Em nota publicada na sua página oficial no Facebook, os Pirates avisaram aos seus fãs sobre a decisão de não continuar no certame lusitano.

“É Com muita tristeza que vimos informar todos os nossos apoiantes de que não iremos participar na próxima edição da LPFA, os Algarve Pirates não reuniram os requisitos no que diz respeito a apoios e atletas mínimos para participar e concluir a próxima temporada. Gostaríamos de agradecer o apoio de todos os adeptos da modalidade e em especial a todos os jogadores que fizeram parte da equipa”.

Pelo atual calendário de jogos da temporada regular, os Pirates estreariam contra o Évora Eagles, no dia 12 de novembro, no Campo Desportivo da Mexilhoeira Grande, em Portimão. Na temporada anterior, o elenco do litoral sul encerrou sem nenhuma vitória, com campanha de 0-9.

— Resumindo foi a falta de um plantel que nos permitisse a concluir a época com os mínimos. Não há um número mínimo defendido, nós direcção simplesmente decidimos que menos de 25 atletas não é suficiente. Principalmente financeiramente — explicaram os dirigentes dos Pirates.

— Não conseguimos reunir as condições necessárias. Terminamos com um plantel curto na época passada e contávamos manter esse núcleo para esta época, adicionando alguns rookies. De repente, perdemos vários jogadores para a universidade e por questões de trabalho e tivemos muita dificuldade e recrutar novos atletas — completou o atleta dos Pirates, Claudio Gordinho.

A falta de um patrocinador também atingiu o setor financeiro da equipe. Sem apoio privado e público, os Pirates preferiram não onerar as finanças. O fato de participar de um campeonato longo na temporada de 2016/2017 não foi determinante para a saída do time. Os Pirates gastam cerca de €10 mil para manter o roster ativo por ano.

— Não nos prejudicou, pois tínhamos um patrocinador e um número de atletas que no total era o suficiente para financiar a mesma — esclareceu a direção.

Com a saída, os jogadores poderão optar jogar por outros times, desde que com o aval dos dirigentes de Portimão, como aconteceu na temporada 2014/2015, quando alguns atletas reforçaram o rival do Faro: o Algarve Sharks.

— Sim, desde que a direcção aprove tanto de uma equipa como outra é permitido. Sharks ou outra equipa qualquer — concluiu a direção.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.