Após saída do Jaraguá Breakers, CBFA estuda manutenção de 32 equipes no campeonato brasileiro

Com a saída do Jaraguá Breakers da disputa do campeonato brasileiro de 2016 devido a roster reduzido e problemas financeiros, a Confederação Brasileira de Futebol Americano (CBFA) estuda uma alternativa para manter o certame com 32 equipes. Para manutenção deste número, alguns times já foram convidados a subir da Liga Nacional para a principal competição do Brasil.

Para solucionar a questão, o coordenador do comitê gestor da Liga Nacional, Márcio Reis Makoto, que também é presidente do Brasília Alligators, ficou encarregado de entrar em contato com os times da Liga Nacional para serem promovidos ao novo formato da Superliga Nacional. No início do ano, o Joinville Gladiators e o Brasília Leões de Judá foram contados para subirem de nível, por ido até a semifinal da Liga em 2015. Entretanto, os dirigentes destes times recusaram o convite por razões diversas.

— Em 2013 caímos para a Liga porque ficamos fora [da Superliga Nacional] para reestruturação do time. O Joinville Gladiators sempre prezou pela honestidade e seriedade nos campeonatos que disputa, então somos contrários a “pular” essa fase. Iremos conquistar nosso direito de disputar a Superliga em campo e não no tapetão. Apesar de termos sido convidados em diversas ocasiões. Quando acabou o campeonato ano passado subiam os dois primeiros [Sorocaba Vipers campeão e Campo Grande Predadores vice], foi este o campeonato que nos propusemos a jogar, não conseguimos nossa vaga em campo. Em 2016 mudou tudo, times do TTD entraram. Nosso pensamento era de que fizessem uma liga este ano com todos os times: TTD, Super e Liga, e com resultado final dividiriam para 2017, metade para a Liga e metade Superliga, não foi feito assim, portanto lutaremos em campo este ano, para que no ano que vem estarmos na Super — explicou a presidente do Joinville Gladiators, Angela Werner.

Pelo lado dos Leões, o presidente Adalberto Dadau confirmou o contato de Makoto para promover a equipe. Porém, a proposta foi recusada, uma vez que o elenco não contava com um quarterback titular, já que Salsicha havia trocado para o Brasília V8.

— Fomos convidados no início do ano e recusamos, estávamos sem QB, pois o Salsicha havia voltado para o V8, o que dificultaria demais nosso jogo aéreo e não daria tempo de preparar um outro QB. Naquela época recusamos, se fosse agora, seria novamente avaliado com chance de aceitarmos. Mas, tudo muda. Parece-me que ele [Salsicha] vai voltar para o time. Teríamos um ataque novamente muito forte, pois, ele se deu muito bem com o estilo de jogo dos Leões e com os WRs. Estou no aguardo de novas notícias — comentou Dadau.

Para substituir os Breakers, há o interesse da CBFA que a nova equipe seja da região Sul, o que facilitaria a logística e evitaria a realocação de times dentro das conferências. Na temporada passada, três elencos gaúchos participaram da Liga Nacional: Porto Alegre Bulls, Porto Alegre Pumpkins e Santa Maria Soldiers. Destes, os soldados foram os melhores classificados, o time terminou com campanha 3-1 na Divisão Sul, o que poderia levar a promoção da equipe. Os Pumpkins encerraram logo atrás com 2-2, o que poderia ser uma alternativa. Já os Bulls finalizaram a participação sem nenhuma vitória (0-4).

— Nós recusamos [o convite] mesmo antes da saída dos Breakers. Nosso interesse é a Liga — afirmou o dirigente dos Pumpkins, Thiago Maha.

Para o elenco de Santa Maria, o presidente Diogo Hartz precisaria ter o acesso a tabela da Superliga para tomar uma decisão. Vale ressaltar que o clube ainda não foi procurado pela CBFA.

— Sinceramente eu não sei [sobre a posição de atuar na Superliga]. É um sonho jogar na elite. Mas temos que ver a tabela, distâncias, custos, tempo para arrecadar dinheiro, caso isso se confirme. Hoje, não tenho como dizer sim ou não — disse.

Confira o planejamento dos Bulls, pelo presidente Paulo Raimann

Caso nenhum clube da Liga Nacional tenha condições de subir, ou recuse o convite da promoção, a tabela da Superliga Nacional seguirá com 31 equipes, sem deslocamento dos participantes dentro das conferências e divisões. Todavia, a metade Sul do Brasil terá somente 15 times. Mesmo com um número menor, a temporada regular seguirá com seis jogos para cada elenco.

— Ainda estamos tentando manter a competição com 32 times, porém, como as tabelas da Superliga e Liga estão fechadas, e as equipes já nos seus preparativos, caso haja recusa iremos manter sete times no sul mesmo. Isso não atrapalhará em nada, já que cada time fará seis jogos dentro de sua conferencia, na temporada regular — explicou o presidente da CBFA, Guto Sousa.

Nota do editor: Os possíveis sete times desta Conferência Sul são: Juventude, São José White Sharks Istepôs, Timbó Rex, Coritiba Crocodiles, Curitiba Brown Spiders, Foz do Iguaçu Black Sharks e Paraná HP.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

Leave a Comment