Brasília Alligators e Brasília Templários desistem da edição 2016 do campeonato candango

No último final de semana, duas equipes desistiram da disputa da temporada 2016 do campeonato candango. Brasília Alligators e Brasília Templários estão fora do certame distrital.

Confira a tabela de classificação e jogos do campeonato candango

O presidente dos Alligators, Márcio Makoto, concedeu uma entrevista ao programa Ponto Extra da All Sports TV, onde explicou que não teria como a equipe participar da competição, pois a permanência no campeonato poderia comprometer o planejamento e o calendário da associação, já que com a desistência da antiga diretoria da FBFA, a organização dos jogos ficaria a cargo dos times. Em nota oficial, que foi divulgada ontem, a diretoria dos gators complementou o motivo da desistência.

Confira a nota oficial dos Alligators

“Neste último final de semana (5 e 6 de março) o Brasília Alligators informou aos devidos responsáveis que não participará do Campeonato Candango de Futebol Americano 2016. Essa decisão foi tomada com base em uma série de fatores explicados a seguir.

Nossa participação seria mediante o que foi definido pela Federação Brasiliense de Futebol Americano (FBFA), que previa apenas o pagamento da taxa de inscrição e isentava os times de trâmites e demais gastos relativos à organização de jogos seguros e com padrões mínimos de recepção de torcida. Isso significaria menores gastos por parte da Associação e maiores lucros de venda de ingresso e produtos da marca. No entanto, os problemas enfrentados pela FBFA devido a razões pessoais de seus representantes, a organização do campeonato ficou a cargo dos times participantes e todas as garantias definidas anteriormente pela FBFA não seriam mais aplicadas.

Se continuássemos no Candango, estaríamos dependentes de datas cedidas pelo Governo do Distrito Federal (GDF) para uso dos estádios de Brasília, os quais estarão sob jurisdição do Comitê Olímpico Internacional (COI) a partir de março, para serem usados como centro de treinamento para seleções de futebol de outros países devido os Jogos Olímpicos. Fator que dificulta a garantia na reserva das datas. Nessas circunstâncias nos vemos em uma situação de ficarmos atrelados a datas que não nos favoreciam (algumas partidas coincidindo com datas de concursos públicos), onde teríamos um gasto elevado sem certeza de retorno e a possibilidade de ficarmos sem local para realizar os jogos. Por estes motivos tomamos a decisão de nos retirarmos do Candango e montarmos nosso próprio calendário de amistosos visando a preparação para a Liga Nacional.

Providências já estão sendo tomadas para que nossos jogos tenham local acessível a todos e em breve as datas e informações serão divulgadas.

Diretoria do Brasília Alligators”

Confira a nota de esclarecimento da FBFA sobre a desistência dos Templários

“A Federação Brasiliense de Futebol Americano vem por meio deste comunicado se desculpar com os atletas e torcedores do Brasília Templários. Os componentes da FBFA entraram em consenso e decidiram que tais assuntos devem ser abordados internamente.

Esclarecemos que o real motivo para a não participação do Brasília Templários no Campeonato Candango de 2016 é o foco na disputa da Liga Nacional no segundo semestre e o maior recrutamento de atletas no presente semestre. Essa foi a estratégia montada pelo presidente do Templários, Leandro Hernandes e por Adalberto Corrêa, presidente do Conselho Deliberativo e presidente interino da FBFA.

A intenção da nota não era ofender o time, e sim prestar esclarecimentos a respeito do Campeonato Candango de 2016 e da desistência de Brasília Templários e Brasília Alligators. Novamente, pedimos desculpas e frisamos que não é esse comportamento que vai nos levar a ser elite do futebol americano no Brasil.

Raphael Crisóstimo Negreiros Redigolo, Dir. Esportivo
Adalberto Corrêa, Pres. Interino”

Leia a entrevista feita pela All Sports TV sobre o posicionamento do ex-presidente da FBFA

All Sports TV: Por que você desistiu do comando da FBFA?

Rodolfo Oliveira: Eu deixei meu cargo por motivos pessoais. O nível de stress provocado por projetos profissionais simultâneos em minha vida foi tão grande que culminou em uma noite eu acordar com taquicardia e, por recomendação médica, deixei projetos que estavam elevando o meu nível de stress. Obviamente, tive de abandonar a Federação pois não poderia abandonar meu cargo público, que é minha fonte de renda.

All Sports TV: Com a sua saída, o que ficou acordado sobre a organização do campeonato?

Rodolfo: Ficou decidido em reunião que os times assumiriam o projeto do Campeonato Candango de 2016 com o Presidente do Leões de Judá, Adalberto Patrocínio, capitaneando as ações necessárias para a realização.

All Sports TV: Qual foi o seu maior feito à frente da Federação?

Rodolfo: Desde que fui apontado Presidente da FBFA, eu e minha diretoria, Vitor Pitombo, Vice-Presidente e Abel Rocha, Diretor Geral, conseguimos tirar o CNPJ da entidade (o que não tinha sido feito nos dois anos pregressos de existência não oficial da entidade), e solidificamos uma existência pacífica com a Federação Brasiliense de Futebol. Conseguimos apoio da Câmera Legislativa do Distrito Federal, na pessoa do Deputado Júlio Ribeiro, e apoio da Secretaria de Estado de Esporte do Distrito Federal, na pessoa da Secretária Leila Barros. Quando você está à frente de uma federação é importante manter esses laços e procuramos fazer isso.

All Sports TV: Alguns dirigentes alegaram que a diretoria da Federação não cumpriu com o que havia sido acordado sobre os custos do campeonato. O que ocorreu?

Rodolfo: Desde que assumimos a diretoria tentamos conseguir patrocinadores por conta própria, para minimizar ao máximo o custo que os times têm na organização dos jogos, mas apesar de termos conseguido mostrar que o esporte estava bem estabelecido na capital federal, todas as entidades do governo e da iniciativa privada com quem entramos em contato precisavam que mostrássemos a eles que poderíamos fazer um trabalho sério e sólido, coisa normal no início de qualquer entidade. De acordo com essa situação e na falta de recursos financeiros para realizar a proposta de Campeonato que tínhamos em mente, nos dirigimos aos times para solicitar uma mensalidade para que a Federação pudesse caminhar com os próprios pés. No entanto nenhum time concordou com a nossa proposta. Eu desejo frisar isso, pois uma das razões do enorme stress em conduzir a entidade, foi a falta completa de comprometimento de todos os times envolvidos em apoiar o projeto da FBFA.

All Sports TV: Vocês buscaram alguma alternativa para solucionar este problema?

Rodolfo: Para tentar solucionar o problema, conseguimos uma parceria com duas empresas, uma de marketing e eventos e outra especializada em captação de patrocínios esportivos que entrariam com parte dos gastos em troca de uma comissão em cima dos patrocínios conquistados, além de um percentual da bilheteria e do bar, desde que pudéssemos dar a estrutura mínima (pintura dos campos, material de apoio de campo, aluguel dos campos e pagamento da arbitragem) para o campeonato.

All Sports TV: Essas duas empresas que você citou chegaram a apresentar algum projeto e solução para a realização do campeonato?

Rodolfo: Correndo contra o tempo, eles apresentaram sim algumas soluções e de quebra pude acompanhar o profissionalismo que eles lidavam com as coisas. Primeiro eles montaram um projeto que ressaltou todos os pontos positivos do esporte e por que valia a pena investir nele e logo após isso já começaram a correr atrás de patrocinadores e apoiadores. Também nos foi apresentado como seria a divulgação do campeonato e dos jogos.

All Sports TV: Essas empresas conseguiram alguma coisa de concreto?

Rodolfo: Como eu disse eles tiveram pouco tempo, mas conseguiram parceria com um shopping central da cidade, que disponibilizou uma área para montarmos um espaço da história do FA no Brasil e em Brasília. Esse espaço ficaria montado durante todo o período do campeonato. Conseguiram também parceria com um site de venda de ingressos; o apoio de uma empresa que nos forneceria água, gelo, isotônico e energético; uma marca de cerveja que estava interessado em entrar com uma verba em dinheiro, desde que conseguíssemos a liberação para a venda do produto durante os jogos, e um banco local, que estava interessado em entrar também com uma verba que serviria para montar o espaço do shopping e para ajudar em alguns custos do campeonato.

All Sports TV: Os dirigentes dos times ficaram sabendo dessas vantagens?

Rodolfo: Em uma reunião foi informado para eles o que já tínhamos conseguindo em parceria com as empresas e em que pé estava as negociações.

All Sports TV: Então o por que essa parceria não deu certo?

Rodolfo: O maior problema foi por causa da transmissão, pois teve time que não queria trabalhar com a empresa que cobriu todo o campeonato no ano anterior e isso atrapalhou toda a negociação com a empresa de captação e de organização, pois todo o projeto que eles montaram estava em cima das transmissões e dos números de audiência conquistados nos jogos transmitidos em 2015. Alguns dirigentes também não estavam concordando com o rateio da bilheteria e do bar e, novamente, os times consideraram a proposta indesejável, e mais uma vez negaram o caminho que nós tínhamos escolhido, sem nenhuma contraproposta estabelecida. Diante da falta de comprometimento total dos times, eu e minha diretoria nos sentimos absolutamente pressionados a entregar um campeonato de alto nível sem nenhum tipo de contrapartida de nenhum dos times. Tivemos notícia até de times engendrando contratos com empresas que não entraram em contato com a FBFA para executar a transmissão dos jogos, passando por cima da decisão da Federação de utilizar os serviços da empresa que constava no projeto.

All Sports TV: Qual foi a sua reação ao ver a nota oficial publicada pelo Brasília Alligators?

Rodolfo: Sobre o Brasília Alligators, não conseguimos entender qual o motivo de seu antagonismo para com a FBFA. Em diversas ocasiões buscou um caminho de confrontamento às nossas decisões, sem nem mesmo lançar seu motivo de descontentamento ou propor uma solução diferente. Quando decidimos lançar as datas preliminares do Candango, no final de 2015, demos o prazo de um mês para a resposta oficial dos times quanto a sua participação no campeonato. O Brasília Alligators escolheu o último dia desse prazo para nos comunicar que sua nova diretoria, a ser escolhida dali a um mês, poderia não querer participar do campeonato, atrasando nosso lançamento de calendário e criando uma situação de incerteza entre os times de Brasília. A situação só se resolveu com um ultimato: decidimos prosseguir com ou sem o time, quando eles decidiram por decretar sua participação, e participaram do sorteio final das partidas.

All Sports TV: O que mais te decepcionou enquanto esteve à frente da federação?

Rodolfo: A coisa que me deixou um pouco decepcionado foi a falta de camaradagem entre os dirigentes e com a FBFA, muitas vezes deturpando questões que levariam o esporte a novos patamares em Brasília para defender interesses unicamente pessoais ou que favorecia apenas uma equipe, sem pensar em um futuro sustentável para o esporte como um todo.

All Sports TV: Quando você comunicou as empresas de marketing e de captação de patrocínio sobre o que estava ocorrendo, qual foi a imagem que eles tiveram do esporte na Capital?

Rodolfo: Comuniquei eles no dia que iriamos assinar o contrato, oficializando a parceria. Os proprietários são profissionais e enxergam uma boa possibilidade no crescimento do esporte, mas ao verem como a banda estava sendo tocada, lamentaram a situação e preferiram se retirar do projeto. O duro foi ver que eles não estavam para brincadeira, pois nesse dia eles me apresentaram o que tinham conseguido também naquela semana.

All Sports TV: E o que mais eles conseguiram?

Rodolfo: Além de tudo que já mencionei, fui surpreendido que eles também conseguiram 100 mobiliários urbanos, desses que ficam nas paradas de ônibus, mais 5 outdoors para divulgarem o campeonato durante todo o período de realização e estavam em processo de finalizar as negociações com duas bandas locais e uma dupla sertaneja de âmbito nacional para a final do campeonato. O Estádio Nacional Mané Garrincha também estava em processos finais de negociação, pois o evento serviria de teste para o COI – Comitê Olímpico Internacional.

All Sports TV: O que você espera do FA em Brasília?

Rodolfo: Acredito que esse é um mercado em franco crescimento no Brasil e que existe oportunidade de um grande crescimento na nossa Capital. Desejo tudo de melhor para o esporte em Brasília e em todo o Brasil, mas meu contato com ele se findou no momento em que percebi que meus valores não batiam com o de alguns dirigentes de times de Brasília, tornando impossível o trabalho com eles. Sei que muitos estão tendo a impressão que simplesmente abandonei o barco por razões pessoais ou por simplesmente não compartilhar da visão dos dirigentes dos times envolvidos. No entanto eu não fui o primeiro a fazer isso aqui em Brasília e no Brasil e certamente também não serei o último. Então será que as pessoas erradas são realmente as que saíram ou as que estão à frente das equipes e que não pensam em uma verdadeira evolução do esporte?