Comissão de arbitragem se posiciona sobre duelo entre Porto Alegre Bulls vs. Porto Alegre Pumpkins

Foto Naian Meneghetti

Confira a nota oficial da comissão de arbitragem da Federação Gaúcha de Futebol Americano sobre os incidentes na partida entre Porto Alegre Bulls 0-50 Porto Alegre Pumpkins, válida pela semana 6 do certame estadual

“Tendo em vista os fatos identificados em algumas partidas do Campeonato Gaúcho de Futebol Americano, em especial no jogo entre Bulls FA e Porto Alegre Pumpkins, ocorrido no último sábado, a Comissão de Arbitragem da FGFA vem reiterar a sua posição de que condutas não condizentes com os ideais do esporte devem ser punidas com absoluto rigor.

Nosso Livro de Regras objetiva garantir o respeito aos adversários, árbitros, ao público e ao jogo como um todo. Não é admissível que a pequenez das atitudes de alguns possa se sobrepor aos ideais de espírito esportivo. Ações inadequadas como provocações, incitação à violência e outras formas de hostilidade descabida não serão toleradas pela arbitragem dentro de campo. Fora do campo, âmbito que foge à jurisdição dos árbitros, acreditamos que a Federação e a Comissão Disciplinar do Campeonato não se furtarão de tomar as atitudes cabíveis, para que rixas pessoais não maculem a imagem do nosso esporte.

Outrossim, a Comissão de Arbitragem repudia as declarações de integrantes de equipes, veiculadas pela imprensa e pelas mídias sociais, no sentido de que seria da arbitragem a responsabilidade pelo alto número de faltas assinaladas. Entendemos que, em nome do crescimento do Futebol Americano no Estado e no Brasil, não é possível que se siga com o pensamento nefasto de que, uma vez identificada ofensa à regra, estaria errado o aplicador da pena, e não o ofensor. É imperativo revestir-se da humildade de reconhecer o erro, a fim de que este não se reprise.

Ademais, seguem abaixo alguns trechos do Livro de Regras e Interpretações do Futebol Americano para o Brasil que embasam e ratificam o posicionamento da Arbitragem Gaúcha.

Página 5 – PONTOS DE ÊNFASE:

“O Código de Futebol Americano, foi introduzido em 1916 pelo NCAA Football Rules Committee e atualizado diversas vezes. Essas orientações formam uma harmonia de acordos entre técnicos, jogadores, árbitros do jogo e administradores que COLOCA CADA DISPUTA NUM AMBIENTE DE LEALDADE E ESPÍRITO ESPORTIVO. (…) TODO PARTICIPANTE DE FUTEBOL AMERICANO DIVIDE A RESPONSABILIDADE POR CONDUTA ÉTICA QUE ENGRANDECE O FUTURO DESSE ESPORTE”.

Página 7 – DECLARAÇÃO SOBRE DESPORTIVIDADE:

“Depois de rever um número de jogadas envolvendo conduta antidesportiva, o comitê apoia firmemente as regras de conduta antidesportiva conforme atualmente escritas e aplicadas. Muitas dessas faltas tratam de jogadores que, impropriamente, chamam atenção para si próprios de maneira premeditada, excessiva ou prolongada. JOGADORES DEVEM APRENDER A DISCIPLINA QUE REAFIRMA O FUTEBOL AMERICANO COMO UM ESPORTE COLETIVO.
O comitê de regras lembra os técnicos de sua responsabilidade pelo comportamento de seus jogadores antes e depois, assim como durante o jogo. Jogadores devem ser aconselhados contra conduta antidesportiva pré-jogo no campo, que possa levar a confronto entre times. Tal ação pode levar a penalidades aplicadas no kickoff de abertura, possivelmente incluindo desclassificação de jogadores. Ocorrência repetida de tal comportamento antidesportivo por um time, pode resultar em ação punitiva do torneio contra o técnico principal e seu time.”

Página 8 – CONVERSAR COM UM ADVERSÁRIO:

“Conversar com um adversário numa maneira que seja degradante, vulgar, abusiva ou fútil ou com intenção de incitar uma resposta verbal ou verbalmente rebaixar um adversário é ilegal. Técnicos instados a discutir essa conduta frequentemente e apoiar todas as ações dos árbitros para controlá-la.”

Páginas 92/93 – Regra 9-2-1 – ATOS ANTIDESPORTIVOS:

“ARTIGO 1. Não deve haver conduta antidesportiva ou qualquer ato que interfira com a administração ordenada da partida da parte dos jogadores, substitutos, técnicos, assistentes autorizados ou qualquer outra pessoa sujeita às regras, antes do jogo, durante o jogo ou entre períodos. Infrações destes atos por jogadores são administrados como faltas ou em bola viva
ou bola morta, dependendo de quando ocorrerem.
a. Atos e condutas especificamente proibidos incluem:
1. NENHUM JOGADOR, SUBSTITUTO, TÉCNICO OU OUTRA PESSOA SUJEITA ÀS REGRAS DEVE USAR LINGUAGEM OU GESTOS ABUSIVOS, AMEAÇADORES OU OBSCENOS, OU FAZER USO DE ATOS QUE PROVOQUEM MÁ VONTADE OU QUE SEJAM DEGRADANTES PARA UM ADVERSÁRIO, PARA ÁRBITROS OU PARA A IMAGEM DO JOGO (…)
PENALIDADE – Faltas em bola viva cometidas por jogadores: 15 jardas. Faltas em bola viva cometidas por não-jogadores e todas as faltas em bola morta: 15 jardas do próximo ponto. Primeira descida automática para faltas do Time B se não estiver em conflito com outras regras. Ofensores ostensivos, se jogadores ou substitutos, devem ser desqualificados.”

Atenciosamente,

Comissão de Arbitragem da Federação Gaúcha de Futebol Americano”