Dados coletados nos training camps de 2016 do Brasil Onças serão levados em conta, aponta Mendes

Mendes tem a missão de montar a equipe do Brasil Onças para a partida contra os Halcones. Foto Junior Martins

Após o anúncio da Confederação Brasileira de Futebol Americano (CBFA), na noite desta última quinta-feira (28), sobre o sistema de triagem da pré-seleção do Brasil Onças, o Futebol Americano Brasil entrou em contato com o head coach Gabriel Mendes para entender melhor como será a escolha dos atletas que irão compor o roster no amistoso contra os Halcones – seleção argentina –, no dia 16 de dezembro, no estádio Mineirão, em Belo Horizonte.

Confira a classificação do BFA



Como informado pela CBFA, o envio dos highlights para os diretores de scouting dos Estados tem prazo curto. O encerramento será no dia 4 de outubro. Com pouco tempo hábil para montar um time, os dados coletados nos training camps regionais de 2016 são um fator a ser levado em conta pela comissão técnica.

— Os jogadores que foram ao training camp foram avaliados de perto. Eles já saem em vantagem, Eu arriscaria que 90% dos convocados sairão daqueles training camps regionais. E fora esses, só alguns poucos que se destacaram depois de março e abril de 2016 — contou Mendes.

Na nota informada pela CBFA aponta para jogadores que já participaram da Liga Nacional e Brasil Futebol Americano (BFA), porém, o envio de material audiovisual está aberto a todos os brasileiros, independente da competição. O que também inclui atletas que jogam em competições no exterior, principalmente no Canadá, Estados Unidos, México e Europa.

— O problema maior seria grana para trazê-los para o amistoso. Eu pedi aos organizadores que financiassem as passagens de todos os jogadores. Mas não dá para trazer quem está no exterior. Se tiver algum jogador que esteja jogando lá fora e que vá estar no Brasil em dezembro, tudo bem. Mas, o prazo não dá para alterar, porque a convocação será em outubro, para dar tempo de todos se planejarem — explicou.

Mesmo os jogadores que já participaram dos camps de 2016 e tenham certa vantagem em estar na lista final da convocação do Brasil Onças, Mendes ressalta que todos devem enviar os vídeos aos encarregados dos scouts.

— A convocação é um retrato de momento. Não adianta o atleta ter ido super bem em 2015 e 2016 e estar mal este ano. O camp vai ajudar a dirimir dúvidas. Se tem dois jogadores cujos highlights são muito bons, o camp ajuda a gente a saber quem se adapta melhor ao sistema da Seleção, é mais coachable, tem melhor atitude. Porque o vídeo serve para uma primeira triagem, mas é no contato pessoal que a gente vê que é cada jogador — finalizou.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.