Dantas volta a vestir a jersey do Brasil Onças após o IFAF World Championship de 2015

Dantas ainda terá de jogar o Brasil Bowl VIII antes do jogo do Brasil Onças. Foto Stephan Eilert

De volta ao Brasil Onças após a disputa da IFAF World Championship, em 2015, na cidade de Canton/Ohio, nos Estados Unidos, o signal caller do João Pessoa Espectros, Rodrigo Dantas, é um dos dois quaterbacks convocados pelo head coach Gabriel Mendes, para o confronto amigável contra a Argentina Halcones, no dia 16 de dezembro, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte.

Saiba como estão os playoffs do BFA



O Futebol Americano Brasil conversou com o líder da unidade ofensiva para saber quais as expectativas de atuar pela primeira vez com a jersey dos Onças em solo nacional. Confira abaixo a entrevista na íntegra.

Futebol Americano Brasil – O sistema adotado pelo coach Brian Guzman prevê muito spread formation, gun e personel 10 ou 11. Como tu te vê nesta dentro desta formação? É algo que te deixa confortável?

Rodrigo Dantas – Esses alinhamentos são a base do ataque que os Espectros vêm jogando nos últimos anos. Gosto bastante das possibilidades que esses pacotes oferecem e acho que encaixa muito bem com os tipos de jogadores que temos, tanto nos Espectros, quanto na Seleção Brasileira.

FABR – Como se adaptar ao timing dos demais receivers, com plays de RPO e um playbook mais complexo em pouco tempo? Guzman chegou a levantar a hipótese de colocar o Ednaldo Massu, Heron Azevedo e Everton “Pingo” Antero quando tu estiver em campo para facilitar o entrosamento?

Dantas – Acredito que a melhor forma de facilitar essa adaptação é todo mundo chegar com o playbook bem afiado. A qualidade e inteligência dos jogadores convocados facilita o entrosamento de forma geral. Como eu e Álvaro [Fadini] ainda estamos nos playoffs, coach Brian está nos dando a liberdade de continuar focado na preparação para os playoffs, então não tocamos nesse assunto, mas imagino que a comissão técnica não espera precisar recorrer a manter jogadores “conhecidos” em campo juntos, e acho que seremos capazes de jogar bem com quem estiver em campo.

FABR – Com um aproveitamento de 48% no acerto de passes (48/99), nove TDs e três INTs, segundo o levantamento do FABR Network, tu vê muita diferença neste novo game plan e esquema no Brasil Onças do que tu trabalha nos Espectros?

Dantas – Ainda não tive acesso a todas as novidades que Brian vai trazer para o esquema da Seleção Brasileira esse ano, mas temos algumas características semelhantes, até pelo fato de o sistema do coach Kevin Veloso que usamos no Espectros ser uma continuidade do que Brian começou a instalar enquanto ainda estava por aqui.

FABR – Como anda o tornozelo esquerdo? Mesmo após uma temporada inteira recuperado, existe ainda alguma preocupação com o local? É algo que possa te incomodar, caso tenha de sair em scramble ou bootleg, mesmo que o sistema peça um pocket passer?

Dantas – Está 100% recuperado, felizmente temos nos Espectros o apoio do nosso DSE [Divisão de Saúde] que me ajudou muito a trazer o tornozelo de volta e acredito que estou melhor fisicamente hoje em dia do que antes da lesão.

FABR – Qual a sensação de voltar a trabalhar com o coach Guzman?

Dantas – É ótimo ter a oportunidade de voltar a trabalhar com um ótimo treinador, além de um grande amigo, apesar dos gritos. Já passamos juntos, por alguns dos momentos mais importantes das nossas carreiras, seja nos Espectros ou na Seleção, e estou ansioso para aprender e testar as novidades que ele venha a trazer do México para o nosso ataque.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.