Em duelo de special teams, o try do Itajaí Dockers levou a melhor sobre o Canoas Bulls

Itajaí Dockers em spread formation para anotar o try da virada. Imagem FCFA/Reprodução

As emoções se tornam cada vez mais frequentes na final da Copa Sul. Na temporada de 2017, o Corupá Buffalos superou o Porto Alegre Pumpkins em um erro do long snapper Max John Dutra no PAT, que poderia empatar o jogo. Em 2018, o special team do Itajaí Dockers foi ousado em arriscar um try de dois pontos, que garantiu o primeiro título da equipe na história. Na tarde deste domingo (9), os catarinenses venceram os gaúchos do Canoas Bulls de virada por 8 a 7, em um thriller após o halftime, no relvado do estádio Valério Gomes Neto, em São João Batista.

Saiba como foi a temporada 2018 da Copa Sul

Os dois programas chegaram na decisão da competição organizada pela Federação Catarinense de Futebol Americano (FCFA) de forma invicta. Uma final inédita nos anais do torneio. Um novo campeão iria se juntar a Itapema White Sharks, Santa Cruz Chacais, Corupá Buffalos e Gaspar Black Hawks.

O jogo começou nervoso para ambos os lados da bola. O jogo travado de trincheiras foi determinante para que o placar não sofresse alteração.

No segundo quarto, os Bulls tiveram a oportunidade para inaugurar o marcador com um complicado field goal de 43yd do placekicker #37 Gregori Vidal, que teve força, mas não teve direção. 0-0.

Depois do intervalo, o roster de Canoas abriu o marcador com um retorno de kickoff de 93yd executado pelo kick returner #89 Douglas Torres, que contou com três upbacks lead blockers para alcançar a lateral e não ser tocado até cruzar a goal line. Vidal completou com o PAT.

A resposta dos Dockers foi imediata. No drive seguinte, o signal caller #8 Igor Clemes liderou a unidade de ataque até a redzone rival. Em um cenário de quarta para 6, na linha de 13yd, o quarterback viu o pocket entrar em colapso, fugiu de um tackle e conectou o slot receiver #13 Emerson Junior dentro da endzone. Os catarinenses deixaram a defesa dos Bulls honesta com os receivers da direita em twin e utilizaram o conceito scissors para abrir a janela para Clemes, que passou para o flanker #15 Marlon Moraes virar com o try.

O resto da partida se encaminhou devagar pelas trocas de posse de bola e excesso de faltas de ambas as equipes. O relógio acabou favorecido pelos Dockers, que esperaram pelo fim da partida para celebrar a conquista inédita. Final 8-7.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

Leave a Comment