IFAF Paris exclui USA Football da lista de membros

O racha dentro da IFAF – New York vs. Paris – segue a pleno vapor. Enquanto a Corte Arbrital do Esporte (CAS, na sigla em inglês) não agenda uma data para decidir quem tem o controle sobre a entidade, a facção International Federation of American Football Paris – que é liderada pelo sueco Tommy Wiking – excluiu nesta terça-feira (9) a USA Football como um dos seus membros.

Saiba mais sobre a posição da CBFA sobre o racha da IFAF



De acordo com a publicação sobre o caso no site da IFAF Paris, a decisão foi tomada em razão a violação das regras sobre o código anti-doping da IFAF.

“As ações tornaram impossível para a Doping Free Sport Unit (DFSU) da Global Association of International Sport Federations (GAISF), também conhecida como SportAccord, implementar uma saída do sistema de controle de competição nos Estados Unidos. A USA Football não submeteu nomes e informações de contato de nenhum de seus jogadores da seleção nacional à IFAF, o que bloqueou a IFAF de adicionar qualquer atleta dos Estados Unidos no sistema ADAMS Database da Agência Mundial Anti-Doping (WADA, na silga em inglês)”.

Em setembro de 2016, a direção da IFAF Paris já havia suspendido a USA Football, junto com o Canadá, Dinamarca, Finlândia, Japão e México, de atividades dentro da federação internacional. Todos eles sofreram a punição pelo mesmo caso: de não submeter nenhuma informação sobre seus atletas ao teste anti-doping.

As implicações nos Jogos Mundiais

Como informado pelo Futebol Americano Brasil, o futebol americano está no quadro de modalidades dos Jogos Mundiais de 2017, que serão disputados em Wrocław, na Polônia, de 20 a 30 de julho.

Saiba mais sobre os Jogos Mundiais de 2017

Os Jogos Mundiais são organizados pela International World Games Association (IWGA), que é reconhecida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). Até o momento, tanto a IWGA quanto o COI reconhecem Wiking como presidente legítimo da IFAF. Outro fato é que Wiking é aliado da Polski Związek Futbolu Amerykańskiego (PZFA), como aponta a reportagem de John McKeon para o AFI, que é o membro que controla o futebol americano na Polônia. Os polacos se juntam aos alemães e franceses mais o representante dos Estados Unidos na disputa do torneio.

Como a USA Football não faz mais parte da lista de membros da IFAF Paris, Wiking teve de ir atrás de outra entidade que representasse os americanos na competição. É aí que entra a U.S. Federation of American Football (USFAF).

A USFAF controla a equipe USA Eagles, que foi fundada em 2002 e já realizou 35 jogos no México e excursões na Europa. A entidade não tem parceria com a USA Football ou a National Football League (NFL). Vale ressaltar que a entrada da USFAF na IFAF Paris ainda é provisória.

A resposta da IFAF New York

Em resposta, a facção IFAF New York publicou uma nota em seu site onde reforça a USA Football como membro.

— Desejamos ser claros, a USA Football continua como um membro valoroso da IFAF e comunidade internacional. Não reconhecemos outra entidade dos Estados Unidos. Todas as nações estão conscientes que temos problemas com a liderança internacional do futebol desde saída de uma minoria de nações no Congresso de Canton/Ohio, em 2015. Apoiamos os membros através da resolução do nosso Congresso em New York, em 2016, temos um pedido no CAS para analisar o caso e procurar uma solução definitiva para este assunto — comentou o presidente da IFAF New York, o canadense Richard MacLean.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.