Internacional tem preferência para data do Gaúcho Bowl VIII

Como o Inter planeja a pintura do gramado para receber o Gaúcho Bowl. Arte/Internacional/Divulgação

Depois de confirmar o interesse em ser a sede do Gaúcho Bowl VIII, o Internacional já estuda o planejamento do evento para o mês de junho, em Porto Alegre.

De acordo com o vice-presidente de administração do Internacional, Alexandre Limeira, o clube tem a preferência de realizar o Gaúcho Bowl no final de semana entre os dias 18 e 19 de junho, uma vez que o colorado encara o Figueirense, em Florianópolis, e em seguida enfrenta o Coritiba, em Curitiba, entre os dias 22 e 23. Os dois jogos em sequência fora do Beira-Rio auxiliará o clube a trabalhar melhor no tratamento e recuperação do gramado para o time de futebol, que voltará a sediar um jogo do campeonato brasileiro no final de semana seguinte contra o Botafogo. O outro final de semana disponível no calendário da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) é nos dias 4 e 5, quando o Inter viaja a Salvador para duelar contra o Vitória, porém, no 11 ou 12, o clube recebe o América, em Porto Alegre, o que inviabiliza uma melhor recuperação do relvado.

Mais uma questão a ser debatida é em relação ao jogo entre Grêmio e Cruzeiro, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, no final de semana de 18 e 19 de junho. Para isto, o Internacional precisa que a CBF defina a data e horário do duelo. Uma vez que não há o objetivo de realizar os dois eventos simultaneamente, em vista da segurança pública e o conflito de jogos que teria perda de renda e público.

Quanto a pintura das linhas do campo de futebol americano, Limeira explicou que o clube deixará com as demarcações oficiais para a prática do futebol americano.

— O Inter tem uma equipe especial para pintura do gramado. Vamos deixar o campo com a demarcação oficial de futebol americano.

Sobre as diferenças de dimensões entre os campos de futebol e futebol americano, Limeira destacou que o Beira-Rio é capaz de sediar ambos os desportos.

— Além de deixar a pintura com as dimensões oficiais, o Beira-Rio é um estádio de arquitetura olímpica (desenho oval), com área de escape no fundo do campo que dará para posicionar os postes (goal posts de field goal e extra point), diferente das arenas, como a do Palmeiras, por exemplo, que são retangulares.

Para as despesas do evento, Internacional, Brio e Federação Gaúcha de Futebol Americano (FGFA) trabalharão em conjunto para captação de recursos que financiem os custeios operacionais do evento. A ideia é que o valor dos ingressos seja acessível para que a família vá ao estádio e curta o entretenimento.

— O Inter tem o know-how para realização de grandes eventos. A expectativa é de que 20 mil pessoas* compareçam no dia do jogo — prevê Limeira.

Show do intervalo

Assim como acontece nos grandes eventos realizados nos Estado Unidos, o Internacional trabalha com a ideia da realização de um show no intervalo do Gaúcho Bowl, da mesma forma como acontece no Halftime Show do Super Bowl, na National Football League (NFL). Na reunião desta sexta-feira (11), o clube e a FGFA pensaram em três bandas, que ainda não foram divulgadas, já que as partes precisam ter conhecimento do calendário de shows destes grupos musicais.

Nota do editor: caso a expectativa se confirme, além do Beira-Rio se tornar o estádio com a maior capacidade para receber torcedores para um jogo de futebol americano no Brasil, o Inter quebrará o recorde de público que pertence a Arena Pantanal, na final da Superliga Centro-Sul entre Cuiabá Arsenal e Coritiba Crocodiles, que recebeu 15 mil pessoas.