Natalia Andrade diz que motivação é a chave do Vasco da Gama Patriotas para conquistar o Torneio End Zone

Campeã pelas Cariocas na temporada anterior, Natalia vai em busca de seu segundo título nacional. Foto Nubra Fasari

Prontas para encarar a grande rival Rio de Janeiro Cariocas na final do Torneio End Zone, em partida agendada para este domingo (29), no Estádio Luso Brasileiro, no Rio. As gurias do Vasco da Gama Patriotas estão determinadas a acabar com o reinado da adversária fluminense. Para a outside linebacker #22 Natalia Andrade, a atleta acredita que no último encontro entre as equipes, as Patriotas têm total capacidade de vencer as meninas de azul e conquistar o título inédito.

Confira a tabela dos playoffs do Torneio End Zone

Veja o calendário de jogos do Torneio End Zone

Com somente uma derrota na temporada regular – justamente para as competidoras deste domingo – Andrade crê que o placar anterior deixou as Cariocas preocupadas, o que aumenta as expectativas da defensora vascaína.

— As (expectativas são as) melhores possíveis. Fizemos bons jogos ao longo do ano e mesmo com derrota contra cariocas conseguimos colocar muita pressão e fazer um jogo apertadíssimo. (O resultado) deixou elas preocupadas com certeza.

Para a atleta, o fato do reinado das Cariocas no certame nacional, com o selo de invictas desde 2014, alimenta ainda mais a vontade e o foco de vencer a rival.

— Estamos preparadas e ansiosas para jogo. Extremamente motivadas para sair com o título inédito para o Vasco Feminino. No nosso último jogo contra elas mostramos que temos total capacidade de sair vitoriosas, só depende de nós.

Um dos pontos críticos para a única derrota na temporada regular foi a razão do roster ser inexperiente, segundo Natalia. Para esta partida derradeira, a jogadora crê que o elenco está mais focado e preparado emocionalmente.

— Precisamos estar mais focadas e emocionalmente preparadas. O último jogo faltou um pouco de experiência para 90% do time, que está em sua primeira temporada de futebol americano. Somos um time novo que conseguiu se estruturar rápido, mas as jogadoras ainda não tinham tanta e experiência em jogar contra um time forte.

Candidata a MVP do campeonato, Natalia divide os méritos com as demais companheiras de time.

— Eu fico muito feliz é ser citada, mas acho que esse MVP só saberemos na final. Tem muita menina boa concorrendo. Isso me deixa muito orgulhosa e saber que veio através de um ano de muito suor e preparação ao lado das minhas companheiras de time.