Porto Alegre Pumpinks vence Porto Algre Bulls e mantém tabu no derby citadino

O safety #34 Gabiel Schuh realiza a INT que terminaria em big play. Foto Naian Meneghetti

No último sábado (2), o derby de Porto Alegre entrou em campo mais uma vez. Porto Alegre Bulls e Porto Alegre Pumpkins encaram-se mais uma vez no Complexo Esportivo da PUCRS. Na oportunidade, o duelo marcou o reencontro das equipes – que não se enfrentavam deste a Liga Nacional de 2015 – e a partida de abertura da semana 6 do campeonato gaúcho. Com um bom público na arquibancada, os adeptos viram o lado laranja da Capital superar o lado vermelho por 50 a 0.

Confira a tabela de classificação do campeonato gaúcho

Em um primeiro lance que parecia marcar o embate, já que eram duas equipes com fortes defesas no jogo terrestre, os Bulls logo mandaram o recado com um three and out. Só que esta foi a única melhor oportunidade dos touros vermelhos na partida. Na sequência, um punt bem executado pelos Pumpkins colocou o backup quarterback #15 João Henrique dos Santos na linha de 3yd do seu campo de defesa. Em seu primeiro snap, dos Santos não conseguiu completar o handoff e se chocou contra o halfback dentro da endzone, o que facilitou aos abóboras anotarem o safety. Com dois a zero a favor, a dupla Freire-Boni tratou de ampliar a diferença em uma conexão de 14yd para touchdown. O kicker #13 Nicolas Boni converteu o PAT. Antes do final do primeiro quarto, o kicker #24 Felipe Medeiros aumetou a diferença com um field goal de 29yd. 0-12.

Com apenas duas posses de diferença, os comandados do head coach Lafaiete Junior tentaram equilibrar o confronto, mas os liderados do treinador americano William McArthur impuseram o ritmo mais físico para chegar a redzone adversária. Em uma tentativa de field goal de 28yd, Medeiros viu o seu chute ser bloqueado pela defesa dos Bulls. Só que na posse de bola seguinte, o quarterback #7 Antonio Freire conectou o wideout #15 Thuan Lemos em um touchdown de 9yd. Medeiros mandou a bola entre as traves. 0-19.

Após o intervalo, erros na proteção do pocket e a troca de quartebacks dos Bulls – uma delas através de uma lesão em Bair, que teve de ser atendido no hospital – facilitaram o trabalho da defesa dos Pumpkins. Entretanto, o excesso de face masks atrapalhou o desempenho dos laranjas. No lado ofensivo, Freire encontrou o seu target preferido, o wide receiver #87 Pedro Boni pela segunda vez, o QB lançou 24yd em fly para TD. N. Boni acertou o extra point. Na campanha seguinte, o running back #25 Tiago Maha correu 2yd para ampliar a vantagem. Novemente Boni acertou o xp. Com pouco tempo no relógio, o running back #16 Jardel Telles em rota diagonal percorreu 7yd para ultrapassar a goal line. 0-40.

No derradeiro quarto, sem forças para esboçar uma reação, os Bulls viram Lemos receber mais um passe de Freire para TD, desta vez de 22yd. N. Boni manteve o 100% de aproveitamento no point after touchdown. Para encerrar, o próprio cornerback/kicker N. Boni converteu um FG de 44yd para fechar a conta do placar. Final 0-50.

— Todos os jogos são jogos contra nós mesmos, contra nossos erros principalmente. Têm muitos jogadores que gostam de ver e decorar jogadas dos outros times, para assim, na hora do jogo, saber o que vão fazer. Eu pessoalmente olho sim o vídeo dos jogos, mas não me apego muito nisso. Se cada um fizer o que tem que fazer, o caminho vai ser a vitória. Acho que o Antonio [Freire] guiando o nosso ataque, não encontrou grandes dificuldades contra a suposta ‘melhor defesa’ do Estado. Contra os Redskulls mantemos a mesma filosofia, lutar contra os nossos erros. Mas espero sim um bom jogo — comentou o safety #34 Gabriel Schuh após a partida.

Para o running back #24 José Wilson “Kell” Fernandes, o novo sistema do playbook ainda precisa ser melhor absorvido pelo roster dos touros vermelhos.

— Minha sincera opinião sobre o jogo, fomos resilientes, estamos nos adaptando no sistema de jogo do nosso head coach [Lafaiete Junior] e demais coordenadores, no qual é um sistema muito bom, com bastante coisa nova e por essas adaptações recentes algumas coisas ainda estão por acontecer, por isso ainda não conseguimos alcançar a eficiência esperada, mas mostramos que temos fibra, garra. Lutamos até o último segundo, contra um grande ataque e uma ótima defesa, meu time só me orgulha a cada game, esse jogo saímos com a derrota mas será um passo para que o futuro seja vitorioso — resumiu.

Buscar a vitória contra o Juventude na última partida dos Bulls na temporada regular será um divisor de águas para o elenco.

— Contra o Juventude só nos resta jogar nosso melhor futebol e pontuar. A defesa vem fazendo seu papel, e o ataque vem melhorando a cada treino a cada jogo, só nos resta a vitória, esperamos que nosso game plan encaixe, pois tenho certeza que esse jogo é tudo que meus companheiros esperam. Será o último jogo de nossas vidas, podem esperar uma grande atuação pois faremos o nosso melhor — finalizou.

O resultado praticamente encaminha os Pumpkins aos playoffs. Os abóboras seguem invictos na competição e mantêm o tabu de jamais ter perdido para o rival citadino. Com campanha 2-0, o time segue líder da Conferência Leste. O próximo compromisso será no dia 17 de abril, quando recebe o Restinga Redskulls (1-1), no estádio da PUCRS. Este jogo marcará o primeiro encontro oficial entre os dois clubes.

Já os Bulls perdem a segunda consecutiva e veem as chances de classificação à segunda fase diminuírem. Com retrospecto 1-2, os touros vermelhos entram em all in na última obrigação da temporada regular contra o Juventude (1-0), no dia 24 de abril, também no Complexo Esportivo da PUCRS. A manada precisará vencer e torcer por resultados paralelos se ainda quiser ter chance de classificação.

Assista o confronto entre Bulls vs. Pumpkins