Recife Mariners mantém tabu na temporada regular contra o João Pessoa Espectros

#10 Niznak foi o destaque do Recife Mariners contra o João Pessoa Espectros. Foto Bruna Monteiro/Mariners

Se você gosta de muitas jogadas de efeito, o clássico entre João Pessoa Espectros e Recife Mariners não foi feito para você. Se você ama defesa, esse é o lugar. E se sua idolatria for por jogos apertados e muita emoção, perder o duelo entre paraibanos e pernambucanos é um sacrilégio. As duas equipes mais uma vez fizeram uma partida memorável. Mais uma vez definida no último minuto. Em jogo bastante disputado, os Espectros foram derrotados pelos Mariners, por 14 a 10, na tarde deste domingo (25), pela Conferência Nordeste da Superliga Nacional. A partida, a última dos fantasmas pela primeira fase, foi realizada na Vila Olímpica Parahyba (antigo Dede), na capital paraibana.

Confira a classificação da Superliga Nacional

O primeiro quarto da partida foi marcado pela soberania das duas defesas, tanto que, apenas o João Pessoa Espectros conseguiu uma primeira descida e ninguém pontuou.

Após uma interceptação do defensor Pezão contra o quarterback americano Alex Nizak, os Espectros conseguiram o primeiro ataque produtivo e por pouco não conquistaram o touchdown. Já na redzone, o ataque fantasma não tinha mais tempo para concluir a jogada e optou pelo field goal, convertido pelo kicker Diego Aranha, no último lance do segundo quarto. 3-0.

Logo no início do segundo tempo, os Espectros tiveram a chance de ampliar o marcador com outro FG, mas Aranha mandou para fora. Ele ainda teria outra chance e novamente desperdiçou. Após os paraibanos liderarem a partida desde o segundo quarto, Niznak, que não realizava a sua melhor partida pelos marinheiros, achou o wide receiver Ricardo Teixeira na endzone e marcou o primeiro touchdown da tarde. O kicker Rafael Bandeira mandou a bola entre as traves.

Quando parecia que os donos da casa estavam fora do jogo, o americano Carlos Cox pegou a bola num retorno do kickoff e correu o campo todo para marcar o touchdown e recolocar os mandantes a frente. Aranha chutou para marcar mais um ponto.

Niznak e o ataque não fugiram da raia. Faltava pouco mais de um minuto e os visitantes não desistiram. Em mais uma drive espetacular, o americano e encontrou o tigh end Eduardo Palácio para TD. O detalhe do lance é que ela passou pelas mãos de um defensor dos Espectros. Bandeira acertou o PAT. Os pernambucanos ainda chutaram um onside kick, recuperaram a bola e apenas gastaram o restante do tempo para garantir a vitória.

Com o resultado, o João Pessoa Espectros termina a fase de grupos na terceira colocação com campanha 4-2. As duas equipes voltarão a se enfrentar nos playoffs, no final de outubro, com o mando do campo do time pernambucano. O técnico dos fantasmas, Kevin Veloso, lamentou a derrota, mas crê na vitória no próximo compromisso contra o arquirrival.

— A gente sabe do potencial do nosso time e temos certeza de que podemos vencer o próximo jogo. Vamos trabalhar bastante neste mês de folga para voltarmos com tudo para a semifinal — disse o comandante.

O Recife Mariners ocupa a segunda colocação com 4-1. O último compromisso sera diante do eliminado Vitória (0-5) para finalizar a temporada regular no próximo dia 8 de outubro, nos Aflitos. Indiferente do resultado da derradeira partida, os Espectros serão os adversários na semifinal de conferência já que a melhor campanha no grupo pertence ao Ceará Caçadores (4-1).