Reis decide no overtime e garante ida do Ceará Caçadores na final da Conferência Nordeste do BFA

Duelo de trincheira marcou o encontro de Ceará Caçadores e Recife Mariners. Foto Diego Dinelly

Um clássico nordestino agitou o estádio Presidente Vargas, neste domingo (8), em Fortaleza. Ceará Caçadores e Recife Mariners proporcionaram aos quase 1.700 torcedores um jogo histórico e emocionante. O time cearense venceu a partida por 13 a 7, de virada, no overtime, e está na final da Conferência Nordeste do Brasil Futebol Americano (BFA).

Saiba como estão os playoffs do BFA



Uma partida dominada pelas defesas. É assim que podemos resumir o jogo entre Ceará Caçadores e Recife Mariners. Muito bem postados atrás, os defensores cearenses e pernambucanos anularam os ataques adversários durante quase toda a partida e ainda aplicaram 75 tackles durante o jogo, dos quais foram 40 para o Ceará Caçadores e 35 para o Recife Mariners.

Os mandantes até que tentaram inaugurar o placar com uma tentativa de field goal do kicker #3 Danilo Arrais. Porém, a jogada terminou sem sucesso por bloqueio do defensive back #25 Guilherme Santana. A resposta dos visitantes foi imediata. Em uma big play do signal caller #12 Rafael Tavares para o tight end #87 Augusto Bezerra, os azuis entraram na redzone. Só que o drive foi encerrado por interceptação do americano #23 Talon Roggash.

Com os ataques em dificuldade de chegar a endzone, somado as duas tentativas sem sucesso do placekicker #14 Rafael Bandeira em field goals, o zero a zero no placar permaneceu até os minutos finais do segundo período, quando o running back #44 Lucas Adolfo marcou um touchdown para os visitantes. O Bandeira converteu o ponto extra e ampliou o resultado para o time de Recife. 0-7.

Mesmo com a forte ofensiva do representante cearense, os Mariners mantiveram o jogo truncado até o final. A esperança dos Caçadores foi renovada no último período. O elenco de Fortaleza partiu para o all in. Perto do two minute warning, depois de algumas tentativas do running back #41 Eduardo Maranhão e do quarterback #17 Romário Reis, o QB cearense lançou 5yd a pelota a Roggasch, que evitou a marcação da secundária de Pernambuco, marcou um touchdown. Arrais converteu um ponto extra, empatou a partida, levou a torcida cearense à loucura e os Caçadores ao overtime.

O tempo extra levou os mais de 1.674 torcedores presentes ao PV a empurrarem o time da casa. A pressão deu certo. O Recife Mariners teve a oportunidade de sair na frente, mas desperdiçou a oportunidade de marcar um complicado field goal de 53yd e abrir três pontos de vantagem. Bandeira teve seu chute bloqueado e a posse de bola passou para os Caçadores.

Com o apoio da torcida que incentivou o time no grito e nas palmas, o Ceará Caçadores marcou um touchdown de corrida de 12yd com Reis. Final 13-7.

Final fora de casa

Agora, o Ceará Caçadores viaja até a Paraíba, para enfrentar o João Pessoa Espectros na final, dia 29 de outubro. Atual campeão do Nordeste, o time paraibano chega invicto à final após passar pelo Cavalaria 02 de Julho por 33 a 2, em João Pessoa.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.