Rio de Janeiro Big Riders arrisca all-in para superar Curitiba Silverhawks na semifinal do campeonato feminino

Rocha foi determinante para anotar dois touchdowns ao Rio de Janeiro Big Riders. Foto Nathan Diniz Fotografia

Partir para o all in foi determinante para o sucesso do Rio de Janeiro Big Riders contra o Curitiba Silverhawks, pela semifinal do campeonato feminino. As cariocas derrotaram as paranaenses pelo apertado placar de 14 a 13, no gramado do Antônio Mourão Vieira Filho, no Rio de Janeiro, neste último sábado (10). O triunfo chegou após um arriscado e bem-sucedido two point conversion. O resultado recoloca as Riders na decisão do certame nacional, algo que não ocorria desde a temporada de 2016.

Saiba como estão os playoffs do campeonato feminino

As Silverhawks queriam deixar para trás a derrota sofrida justamente para as Riders durante a temporada regular, quando perderam em Curitiba por 22 a 6. A defesa paranaense tratou de forçar um three and out no arranque do duelo. Com a posse em mãos, a unidade de ataque abriu a contagem com uma corrida de 10yd anotada pela halfback #18 Amanda Boabaid, que ainda ampliou com a conversão do PAT.

A resposta das mandantes foi imediata. Em quatro hikes, a signal caller #6 Jheanine Coelho liderou o contra-ataque, que foi capitalizado com uma big play de 36yd para touchdown da running back #11 Beatriz Rocha. O special team desperdiçou o try.

Sem demora, as Silverhawks aproveitaram para transformar mais uma posse de bola em pontos. Em um drive de quase 60yd, a quarterback #18 Ester Alencar liderou a unidade até a redzone do Rio de Janeiro. Boabaid encontrou um gap aberto em uma corrida de 6yd para touchdown. Entretanto, o arremate de bonificação foi para fora – que custaria muito caro no final do duelo.

Durante o segundo período, as defesas conquistaram um turnover cada. A defensive end #68 Alana Sanjines forçou um fumble no território de defesa das Riders, que foi prontamente recuperado pela defensora #66 Majoare Vieira. Porém, a campanha encerrou na sequência com uma interceptação de Alencar contra a secundária mandante. 6-13.

Após o halftime break, as donas da casa voltaram a ameaçar a meta das rivais. A defesa local roubou a posse contra Boabaid e posicionou a unidade ofensiva já em redzone, a 16yd do gol. Contudo, o elenco do Rio de Janeiro parou no muro levantado pelas curitibanas e encerrou a campanha com um turnover on downs.

Com o andamento do último quarto, um erro no handoff de Alencar para a running back #19 Maria Gabriel Scherner resultou em fumble recuperado pela middle linebacker #9 Lais Gomes. Desta vez, o drive foi capitalizado com uma corrida para touchdown marcado novamente por Rocha. A ousadia foi ainda maior quando o head coach Leduc Fauth arriscou uma conversão de dois pontos pelo bom desempenho da O-line. A chamada teve sucesso com a fullback #24 Jéssica Sisquim, a pouco mais de cinco minutos para serem jogados.

O golpe foi sentido pelas Silverhawks, que não conseguiram esboçar uma reação e sofreram um three and out na sequência. A experiente quarterback #7 Tatiana Sabino controlou o relógio com o jogo terrestre para garantir o triunfo. Final 14-13.

— A nossa linha correu meio bem o jogo todo. Sem jardas negativas. Foi arriscado, porque era um tudo ou nada. Mas preferimos vencer, do que simplesmente tentar empatar — explicou Sabino sobre o 2pts conversion no último período.

O placar coloca o Rio de Janeiro Big Riders na final do campeonato feminino. O próximo compromisso será contra o Sinop Coyotes, que venceu o São Paulo Spartans, em Sinop. A final está pré-agendada para o dia 2 de dezembro, com local a ser definido pelo office da Liga Nacional.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

Leave a Comment