São José Istepôs aposta na defesa para surpreender o Timbó Rex no SC Bowl XII

Nas temporadas de 2015 e 2016, o Timbó Rex levou a melhor contra o São José Istepôs. Imagem Carlos Constantinov/Salão Oval

Timbó Rex versus São José Istepôs. O melhor ataque contra a melhor defesa. Dois times na busca pelo terceiro título estadual no SC Bowl XII. Rivalidade nos campos e nos números. A equipe timbonense terminou a temporada de 2016 com apenas uma derrota e que foi justamente para a equipe de São José. Nesta temporada, o Rex ainda não perdeu. As equipes já se enfrentaram duas vezes em finais, 2015 e 2016, quando o time de do Vale do Itajaí levou a melhor, sagrando-se campeão. Já o São José Istepôs é a única equipe a participar de todas as edições da competição. Esses são apenas alguns dos ingredientes da grande final do campeonato catarinense, que acontece neste domingo, 25 de junho, no Estádio do Sesi, em Blumenau. A partida também será transmitida pelo facebook da Federação Catarinense de Futebol Americano (FCFA).

Saiba como estão os playoffs do campeonato catarinense



Para este grande duelo e na busca por mais um título, a grande arma da equipe josefense será a sua defesa. O São José Istepôs tem a melhor defesa da competição em touchdowns cedidos, já que não cedeu nenhum e a defesa do Rex traz em seu histórico dois cedidos.

— A capacidade da nossa defesa de ser física e competitiva contra ataques bem estruturados é a nossa principal arma para nivelar o jogo com uma equipe de alto nível como o Rex. Em compensação, o nosso ataque foi pouco eficiente nesta competição e terá um duro desafio contra a defesa do Rex que é uma das melhores do país — destacou o presidente dos Istepôs, Fábio Amorim.

A soma desses dois fatores traz uma perspectiva de um jogo muito duro e de placar baixo.

— Como mostramos em jogos como o de Jaraguá do Sul [contra os Breakers], nós só precisamos de uma boa oportunidade para marcar e sair com a vitória, então os Istepôs é um time que, neste momento, se apoia na defesa para vencer suas partidas. Assim como perdemos para o Joinville Gladiators por 3 a 2, aprendemos que não importa o placar, o importante é a vitória. Imagino que esse seja o sentimento do time todo para este jogo — completou.

A dura tarefa de encarar um dos melhores elencos do Brasil e atual campeão brasileiro é um gás a mais para a maré vermelha.

— O Rex é um dos melhores times do país. Eles chegaram a final do nacional por três anos consecutivos [2014, 2015 e 2016] e foram campeões duas vezes. Ficaram invictos por mais de um ano e perderam justamente para a gente. É um adversário muito bem treinado, com um treinador muito estudioso sobre os adversário e com uma liderança notável. É uma rivalidade muito forte e antiga e recentemente criou novas proporções, justamente por termos sido os únicos a vencerem eles e ainda por cima lá na casa deles — justificou.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

Leave a Comment