Sorocaba Vipers perde clássico contra São Paulo Storm e retorna à Liga Nacional em 2017

São Paulo Storm derrota rival, que cai para a Liga Nacional 2017. Foto Storm/Divulgação

Em jogo disputado na Faculdade de Engenharia de Sorocaba, válido pela Conferência Oeste da Superliga Nacional, Sorocaba Vipers e São Paulo Storm se enfrentaram pela 21ª vez em 10 anos de existência das duas equipes. A partida valia não só a vitória em mais um derby paulista, mas como a permanência da primeira divisão do FABR.

Confira a classificação da Superliga Nacional

Ambas as equipes vinham de 4 derrotas na competição e precisavam da vitória pra se manter na Liga na próxima temporada. A situação da equipe de Sorocaba era um pouco mais grave pois já havia perdido para o Campo Grande Predadores, outro candidato ao rebaixamento. Mesmo sabendo da importância do jogo, os Vipers não foram capazes de parar o forte jogo corrido da equipe paulistana e acabaram sendo derrotados por 54×07. Com o resultado, o time já está matematicamente definido como o 8º colocado da Conferência, tendo que disputar a Liga Nacional em 2017 para então voltar a Superliga.

Resumo do Jogo

Embora a vantagem do campo e da torcida, o Vipers tinha pela frente o forte time do Storm que contava com dois reforços de peso. Os running backs americanos Malcolm Gasque e Ronelle Stephens participaram quase todas as jogadas ofensivas do time, pontuando na maioria delas.

Logo no primeiro snap, Gasque recebeu a bola de um reverse e atravessou uma avenida de 60 jardas para marcar o primeiro dos oitos touchdowns do Storm no jogo. Por sua vez, o Vipers investia no jogo terrestre por fora, mas dificilmente conquistava jardas antes de sofrer tackles, tendo assim que devolver a bola.

Voltando a campo, o Storm então resolveu experimentar seu jogo aéreo e após dois first downs, o quarterback da tarde Allan Kulbert acertou um belo passe para o wide receiver Antonio Maida.

Assim como o Storm, o Vipers também tentou imprimir seu jogo aério, mas a falta de seu QB principal prejudicou a equipe. O passador improvisado #87 Rodolfo Bellato não conseguiu conectar muitos passes, ou por demora na leitura da jogada ou por drops de seus recebedores.

Do outro lado, a tempestade continuava a pontuar com facilidade, aproveitando a força de seus corredores além de bom bloqueios os auxiliando.

Mesmo com 27×00 no placar, ainda no segundo quarto, os Vipers tiveram então sua melhor campanha ofensiva, com boas corridas incluindo a do #33 de 17 jardas que colocou o time pela primeira vez na redzone. O problema é que o excesso de faltas por parte do ataque acabou afastando-os da linha final e forçando uma 2ª para 30. Mesmo com uma boa corrida de seu QB Rodolfo adentrando novamente a redzone o mesmo não conseguiu a conexão na 4ª decida e acabou perdendo a posse de bola.

Ainda no primeiro tempo, após nova pontuação do Storm e novo three-and-out, o Sorocaba ia para seu quarto punt. No catch, o americano Malcolm Gasque soltou a bola e a deixou escorrega-la pela endzone. O time então tentou se livrar da bola, fazendo um rugby em seu campo mas perdendo-a para os Vipers ao fim da jogada. O que poderia ser a primeira pontuação do time sorocabano se transformou em apenas mais uma posse do Storm, devida a uma falta no lance.

Mas os primeiro e únicos pontos do Vipers não tardaram a acontecer. Após interceptação do #32, o jogador #33 recebeu a bola de seu QB e correu até a endzone diminuindo a diferença.

Porém na volta do intervalo, o ritmo de jogo era o mesmo do começo da partida, com longas corridas de Ronnelle e poucos avanços dos Vipers.

Sendo assim, o São Paulo Storm conquistou sua 18º vitória sobre as víboras, e o direito de permanecer na Superliga Nacional. O time ainda viaja para Campo Grande para enfrentar os Predadores na última rodada, ambos sem chances classificação. Já os Vipers já poderam começar se planejar para 2017, onde terão que novamente disputar a Liga Nacional, divisão onde foi campeão em 2015, em casa. Na última rodada a equipe ainda vai para São Paulo encarar o Corinthians Steamrollers.

Drive by Drive

1º Quarto
Storm 06×00 [TD Corrido] #3 Malcolm Gasque 60 jardas (2pts não convertidos)
Vipers 00×06 [Punt] Sem avanços
Storm 12×00 [TD Passe] #8 Allan Kulbert > #14 Antonio Maida 29 jardas (2pts não convertidos)
Vipers 00×12 [Punt] Sem avanços

2º Quarto
Storm 20×00 [TD Corrido] #2 Ronelle Stephens 9 jardas (2pts convertidos #9 Luiz Felipe Domingues)
Vipers 00×20 [Punt] Sem avanços
Storm 27×00 [TD Corrido] #26 Alan Giamas 68 jardas (XP convertido)
Vipers 00×27 [4ª Decida não convertida] 3 First Downs
Storm 34×00 [TD Corrido] #3 Malcolm Gasque 67 jardas (XP convertido)
Vipers 00×34 [Punt] Sem avanços
Storm 34×00 [Interceptação] #32
Vipers 07×34 [TD Corrido] #33 (XP Convertido / #10 Gugoni Jr.)

3º Quarto
Vipers 07×34 [Punt] Sem avanços
Storm 41×07 [TD Passe] #8 Allan Kulbert > #2 Ronelle Stephens 61 jardas (XP convertido)
Vipers 07×41 [4ª Decida não convertida] Sem avanços

4º Quarto
Storm 48×07 [TD Passe] #2 Ronelle Stephens 7 jardas (XP convertido)
Vipers 07×48 [Punt] Sem avanços
Storm 54×07 [TD Corrido] #2 Ronelle Stephens 69 jardas (2pts não convertidos)
Vipers 07×54 [Fim de Jogo] Sem avanços

Texto de Cesar Augusto de Freitas/Arena FABR