‘Sou um QB de pocket, mas poderei usar as pernas’, diz o novo QB do Paredes Lumberjacks

Alex Soares trocou o Porto Mutts pelo Paredes Lumberjacks. Foto Perfil/Facebook

O Futebol Americano Brasil conversou com o novo quarterback do Paredes Lumberjacks para a temporada 2016/2017 da Liga Portuguesa de Futebol Americano (LPFA). O signal caller Alex Soares contou as suas expectativas no novo clube e confessou que por pouco não abandonou o futebol americano, senão fosse um convite no meio do ano.

Confira como foi a temporada 2015/2016 da Liga Portuguesa

Leia a entrevista na íntegra

Futebol Americano Brasil – Quais as tuas expectativas de atuar pelos Lumberjacks na temporada 2016/2017?

Alex Soares – Encaro o futuro mais como uma presença veterana na equipa. Ajudar no que for necessário.

FABR – O que te levou a mudar de ares e trocar os Mutts pelo Lumberjacks? Houve algum problema interno nos Mutts ou de relacionamento com comissão técnica e companheiros?

Soares – Não foi troca directa. Infelizmente, ainda não se consegue viver de futebol americano, e tomei uma decisão, em julho, de me retirar deste desporto que tanto gosto. Ironia da vida, foi-me feito um convite de participar no camp para a selecção nacional. Devido à minha boa relação com a equipa de Paredes, decidi encarar o desafio com eles. Qualquer outro problema, fica em conhecimento de quem de direito.

FABR – Até a época anterior, tua titularidade no ataque dos Mutts era incontestada, agora, nos jacks tu terás de brigar pela posição com Bruno Tunes. Como encarar este novo desafio?

Soares – Como disse, acima de tudo espero poder ajudar. Sem nunca colocar de lado a competição pelo lugar, espero poder passar conhecimentos que adquiri ao longo de quase dez anos de futebol americano.

FABR – Os Mutts e os Lumberjacks têm sistemas de jogo completamente distintos. Na equipa da Invicta, tu podias variar mais o jogo aéreo com o receiver Saulo Diniz. Nos Lumberjacks, a ideia é que tu aprimores ainda mais as técnicas de handoff e read option no jogo terrestre com o running back Miguel Dias. Como habituar um playbook tão diferente em pouco tempo?

Soares – Habituar-me ao playbook não considero ser uma dificuldade. O gosto pelo jogo faz-nos querer saber sempre mais e melhor, com pratica e treino, tudo é possível. Em relação ao playbook em si, logo saberei que me será pedido, não é segredo que sou um QB mais de pocket, mas quando necessário, também poderei usar as pernas.

FABR – Como administrar os custos de logística para Paredes, já que tu moras em Vila Nova de Gaia? Não será mais oneroso, uma vez que a equipe não te fornecerá nenhuma contribuição para viagens?

Soares – Não será um factor muito relevante, felizmente. Não poderei ir a todos os treinos, como em anos anteriores, mas isso também se deve ao ponto actual da minha vida. Espero poder marcar presença sempre que possível e tirar o máximo proveito. Tenho que me colocar em forma de FA rapidamente, o camp nacional está a chegar.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

Leave a Comment