Viagem no Tempo: Cuiabá Arsenal relembra conquista do bicampeonato brasileiro

Foto Arsenal/Arquivo

O Cuiabá Arsenal venceu o Campeonato Brasileiro de Futebol Americano com placar de 31 a 23 contra o Coritiba Crocodiles. A partida ocorreu no dia 24 de novembro de 2012, no Estádio Presidente Eurico Gaspar Dutra, em Cuiabá (MT). O 2º título nacional vencido em uma final disputada com os rivais crocodilos de Curitiba (PR). Um dos momentos mais marcantes da história de 10 anos do clube. E que será contado neste 3º episódio da série ‘Viagem no Tempo’.

Seleção

Em 2009 se formou a primeira seleção mato-grossense de futebol americano. Para disputar a 1ª edição do Torneio de Seleções, de 18 a 20 de abril, em Sorocaba (SP), com plantel composto praticamente todo de atletas do Cuiabá Arsenal. E lá pegaram três adversários. Foi uma vitória sobre a seleção da Paraíba (7-0), derrota para a do Rio de Janeiro (0-22) e derrota para São Paulo (0-6). Dois estados que estavam mais adiantados na modalidade.

No ano seguinte, em 2010, os mato-grossenses se agruparam mais uma vez para competir na 2ª edição do Torneio de Seleções, organizada no mês de abril em Curitiba (PR). Mas desta vez um desafio ainda maior. Por conta da logística, a seleção fez três partidas em 24 horas. Venceram a seleção do Paraná (21-20), perderam para a de São Paulo (0-28) e, mesmo exaustos, lutaram bravamente contra Santa Catarina (0-44). Três jogos com média de três horas cada em 24 horas.

Internacional

Em 2011, o Cuiabá Arsenal fez o primeiro amistoso internacional em solo brasileiro da história do futebol americano nacional. Enfrentaram o Los Felinos de La Florida, de Santiago (Chile), no dia 2 de julho, no miniestádio do CPA I, em Cuiabá. O terceiro melhor time da Liga Chilena de Futebol Americano (LCFA). E que vinha de uma campanha cheia de vitórias. E a equipe mato-grossense sem dar chances deu um baile com placar de 48 a 16.

Para um dos atletas fundadores, Herbert Oshiro, um contador de atuais 32 anos, que jogou como defensive back de 2006 até 2011, e que estava em campo contra o Los Felinos, a vitória aconteceu devido ao forte time de defesa. Segundo ele, a equipe já conhecia e conseguiu aplicar as técnicas de movimentação e posicionamento de defensores. E ainda diz que não recorda de nenhuma jogada em que não haviam sempre ao menos dois jogadores chegando para dar tackle.

— O time de defesa era forte e agressivo. E a linha de defesa pressionava constantemente o QB e os LBs e DBs sempre estavam nos tackles. Lembro de um touchdown do Igor Mota anulado por uma falta minha. O WR chileno buscava contato em todas as jogadas. E em um retorno de punt eu bloqueava ele para fora do campo e esse bloqueio terminou com os dois no chão. E o árbitro interpretou como confusão e deu falta pessoal. Daí perdemos o TD — conta Oshiro.

LBFA

Em 2011, o Cuiabá Arsenal disputou a segunda edição do campeonato nacional da Liga Brasileira de Futebol Americano (LBFA), da qual era o atual campeão. E como tal todas as equipes tinham gana para lhes tirar o título. E a estreia ocorreu contra o São Paulo Storm, no dia 16 de julho, em Cuiabá. Uma turma que os mato-grossenses já haviam enfrentado duas vezes, com histórico de uma vitória e uma derrota. Mas deu tudo certo e Arsenal venceu por 10 a 9.

A partida seguinte foi contra o São Paulo Spartans, em 6 de agosto, em Jaú (SP). Era o 1º embate entre as duas equipes. Nunca antes haviam se enfrentado. E o Arsenal não teve dificuldades na busca pela manutenção do título de campeão, venceu com o placar largo de 41 a 14. E logo partiu para Joinville, em Santa Catarina, para confrontar o Joinville Gladiators. Também 1º duelo entre os dois clubes. E neste o Arsenal tropeçou e caiu em uma derrota por 22 a 25.

Na sequência, no segundo jogo versus o Spartans, o Arsenal atropelou com placar de 64 a 6, em 17 de setembro, no campo do Sesi, em Várzea Grande (MT). Uma vitória fácil sobre um time com muitos atletas lesionados. E em seguida viajou para Curitiba, em 01 de outubro, para uma batalha contra o Curitiba Brown Spiders. Na única vez em que se enfrentaram (2006) o Arsenal perdeu. Mas desta vez os mato-grossenses ganharam de 16 a 10.

A última partida antes dos playoffs foi contra o Foz do Iguaçu Black Sharks, no dia 22 de outubro, no estádio Eurico Gaspar Dutra, em Cuiabá. E embalado pela torcida os donos da casa avançaram com folga por cima dos paranaenses. O placar fechou em 49 a zero para o Arsenal. Um show de corridas por dentre a linha adversária. E o Arsenal garantiu a vaga nos playoffs. Só faltavam três vitórias para manter o título e ser bicampeão brasileiro.

Nas quartas de final, o Cuiabá Arsenal encarou o São Paulo Storm, no dia 05 de novembro, no estádio Dutrinha, em Cuiabá, e venceu por 22 a 17. Até aqui tinha feito sete partidas e ganho seis delas. Então foi para a semifinal contra o Fluminense Imperadores. Um combate entre campeões brasileiros. Imperadores em 2009 e Arsenal em 2010. E o duelo foi no Rio de Janeiro, no dia 20 de novembro, com vitória dos cariocas por 21 a 24. Eles foram para a final e venceram.

CBFA

Em 2012, deu-se início aos campeonatos nacionais da Confederação Brasileira de Futebol Americano (CBFA). E o Arsenal faturou a estreia com placar frouxo de 46 a zero versus o Sorocaba Vipers, em 7 de julho, em Cuiabá. E, já no dia seguinte, venceu por 34 a 3 o mato-grossense Sinop Coyotes. Indo para a terceira rodada com o São Paulo Storm com a moral em alta, em 4 de agosto, em São Paulo, que venceu com certa tranquilidade por 35 a 24.

Na quarta rodada pegou de novo o Coyotes, em 19 de agosto, em Sinop (MT), e ganhou por 34 a zero. Depois recebeu o Rio Preto Weilers no estádio Dutrinha, em 01 de setembro, em Cuiabá, e venceu por 55 a zero. E teve um terceiro confronto com o Coyotes, em 29 de setembro, de novo em Sinop, e também com placar vantajoso de 35 a zero. Com seis partidas ganhas, invicto com 239 pontos marcados e apenas 27 sofridos, o Arsenal avança para os playoffs.

Nas quartas de final, o Arsenal confrontou pela primeira vez o Porto Alegre Pumpkins, em 27 de outubro, no Dutrinha, Cuiabá. E, não se sabe se foi o sol de MT, mas os gaúchos derretem frente ao Arsenal, que ganhou com elásticos 41 a 7. O time levava todas com placares confortáveis. E na semifinal enfrenta, também pela 1ª vez, o . Mas, desta vez, vence por pouco. Os nordestinos não esmorecem com o calor e o placar ficou nos apertados 21 a 20.

Na final, o Cuiabá Arsenal pegou o Coritiba Crocodiles, em 24 de novembro, no Estádio Dutrinha, em Cuiabá. Uma final repeteco de 2010, quando os mato-grossenses conquistaram o primeiro título nacional da história do clube em cima dos paranaenses. E desta vez não foi diferente. Num jogo disputado jarda a jarda, o Arsenal faturou o segundo título com placar de 31 a 23. E fechou a competição com 9 partidas e 9 vitórias. Uma conquista de troféu brasileiro de forma invicta.

Até aqui o Cuiabá Arsenal (2010 e 2012) e o Fluminense Imperadores (2009 e 2011) eram ambos bicampeões brasileiros. Mas o Coritiba Crocodiles (2013 e 2014) viria a por as mangas de fora. E o João Pessoa Espectros apareceria ainda mais tarde como campeão (2015). E os rivais antagonistas da história do Arsenal foram Tubarões do Cerrado (7 vitórias a 3 para o Arsenal), Fluminense Imperadores (2-2) e Coritiba Crocodiles (2-1, com as duas vitórias em finais).

Texto Juinor Martins/Arsenal