Defensive tackle do Brasília Pilots é recrutada pelo San Diego Tridents da Women’s Football League Association

Evangelista troca o Brasília Pilots pelo San Diego Tridents. Foto Rodrigo Eira Fotografia/Divulgação/Futebol Americano Brasil

O sonho de jogar em uma equipe dos Estados Unidos acaba de se tornar realidade para a atleta do Brasília Pilots, Gabriella de Carvalho Lima Evangelista. Com 25 anos, a jogadora brasiliense foi selecionada pelo San Diego Tridents, time californiano integrante da Women’s Football League Association (WFLA).

Saiba como foi a temporada 2019 do BFA Feminino

A caminhada árdua da atleta começou há três anos e Evangelista sempre contou com o apoio da família. No final de 2019, resolveu enviar highlights para diversas equipes, até que foi convidada pela comissão dos Tridents para uma reunião. De acordo com a defensive tackle, a seleção ocorreu no último domingo (12).

— Foi um processo seletivo com várias atletas de todo o mundo, entre elas jogadoras da Legends Football League (LFL), por meio de videoconferência, que durou aproximadamente quatro horas. Estavam presentes, o presidente do time, o comissário da liga, todos os diretores, dentre outros. No dia seguinte, por e-mail, fui informada por um dos diretores que naquele momento, eu estava sendo avaliada pela comissão técnica. Mais tarde, com grande surpresa e emoção, recebi o resultado dizendo que eu fui aprovada por unanimidade. Todos fizeram questão de me falar com muita alegria que eu recebi a aprovação — contou a atleta.

Para Evangelista, a oportunidade de representar o Brasil é única e a expectativa para realizar tal feito é grande.

— Estou ansiosa para embarcar e conhecer a comissão técnica e a infraestrutura do meu time, para logo começar a treinar e representar bem o Brasil lá fora. Com certeza darei meu sangue, darei o meu melhor para mostrar que o nosso país tem potencial e grandes talentos. Vai ser um desafio e terei que trabalhar muito duro para isso. Treinarei até a exaustão, darei meu máximo dentro de campo, nos treinos. Mas Deus está comigo e eu sigo confiando — comentou.

Evangelista se apresentará ao San Diego Tridents após o período de isolamento necessário devido a pandemia causada pela SARS-CoV-2, o vírus que causa a COVID-19. Mesmo sem poder viajar para os Estados Unidos, a atleta segue uma rotina intensa de treinos para se manter em forma.

— Faço acompanhamento com o Rafael Pedron, coach especializado em treinar jogadores que jogam futebol americano. Aqui em casa eu consegui auxílio de uma academia, que me disponibilizou pesos, então, eu estou treinando pesado em casa, além de fazer drills e mantendo minha dieta. Montei a academia aqui e estou treinando. Treino todos os dias, tanto a musculação, quanto drills — explicou.

A jogadora acredita que o perfil atlético de explosão, agressividade e velocidade contra a O-line ajudou na análise do departamento técnico dos Tridents para convocá-la.

— Eu trabalho todos os fundamentos da minha posição, mas tenho facilidade em explodir com rapidez, minha agressividade ajuda sim, e eu sei tacklear bem — disse.

Na temporada de 2019 do BFA Feminino, em quatro jogos pelas Pilots, Evangelista anotou 28 tackles, dos quais dez assistidos e quatros for loss, ainda forçou nove investidas com sucesso no pocket onde marcou cinco hurries, três hits contra as signal callers e um sack.

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol Americano (CBFA), Ítalo Mingoni, ressalta que Evangelista é um exemplo para comunidade brasileira.

— Ela é sinônimo de orgulho, principalmente por ter a Gabriella representando o nosso esporte em uma liga de altíssimo rendimento. É mais uma confirmação que estamos no caminho certo em desenvolvimento esportivo e identificação de talentos, posicionando o Brasil como um celeiro de performance esportiva no futebol americano — disse.

Com informações da Assessoria da CBFA

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias, no Instagram em @futebolamericanobrasil_ e curta-nos no Facebook.

Leave a Comment