Como o Santa Maria Soldiers ajudou Ibaldo a sair da depressão e eliminar mais de 70kg

Jean Ibaldo pelo Santa Maria Soldiers na temporada de 2017, ao lado de Anne Borges. Foto Arquivo pessoal/Futebol Americano Brasil

Relatos de pessoas que emagrecem por diversos motivos são de certa forma comuns na sociedade. Seja para um casamento, uma festa específica, seja pela saúde, ou, até mesmo, por causa do esporte. O caso de Jean Ibaldo, ofensive line do Santa Maria Soldiers, atualmente com 36 anos, não foi diferente.

Veja como seria o calendário de jogos do Campeonato Gaúcho de 2020

O jogador já conhecia o esporte desde infância, assistindo os jogos na Bandeirantes, conforme nos contou em entrevista ao Futebol Americano Brasil.

— Quando eu era criança, me lembro de passar jogos na Bandeirantes, mas passei a acompanhar realmente a partir de 2010, pela ESPN — disse.

Foi somente no ano seguinte que Ibaldo teve seu primeiro contato com o time de Santa Maria. O atleta postou uma foto com uma bola de futebol americano e foi influenciado por amigos a conhecer o time.

Sua entrada no programa aconteceu em 2012, quando a equipe promoveu seu primeiro tryout. Na época, Ibaldo pesava aproximadamente 165kg.

— Quis começar a jogar porque gostava do esporte. Queria conhecer. Eu era completamente sedentário. Com-ple-ta-men-te! Cheguei na seletiva e só me perguntava o que eu estava fazendo ali. No final das contas, sou o único sobrevivente daquela seletiva do final de 2012 — recorda.

A mudança de vida

Para a prática esportiva, ao menos em alto nível, é necessário acompanhamento nutricional e físico. Quando se trata de um atleta sedentário, e com peso elevado, mudanças na rotina são mais do que necessárias para seguir com a proposta atlética.

— A primeira coisa que tentei mudar foi a alimentação e tornar um hábito as caminhadas. Logo na sequência, entrei na academia do SESC, e o Guilherme Kieling foi muito importante nessa mudança. Ele me motivava, passava meus treinos e ensinava os fundamentos do esporte. A perda de peso não tem receita milagrosa. Tem que ter atitude, mudança de hábitos alimentares e atividade física — comenta o jogador.

Ibaldo conta que chegou a consultar um especialista para realizar a cirurgia bariátrica, mas constatou não ter capacidade psicológica para um pós-operatório. Ele chegou ao time em 2012, e já em 2013, com os rumores da criação da Liga de Futebol Americano (LFA), alguns dos principais jogadores saíram dos Soldiers e migraram para Santa Catarina, como Douglas Rodrigues, Vinícius Zanon e Feranando Gross.

— Então, 2014 e 2015 foram anos de reconstrução nos Soldiers, sem os caras que encabeçavam a coisa. Bate uma certa desmotivação e junto vem a perda do comprometimento. Junta a isso ao falecimento da minha mãe. A depressão bateu muito, muito forte. Cheguei aos 190kg — confessa.

O auge negativo de seu peso foi em abril de 2016, quando atingiu a marca de 190kg. No mesmo ano em que os Soldiers venciam o Gigante Bowl e conquistavam a vaga para a elite do futebol americano nacional, Ibaldo travava outra luta: a pelo emagrecimento.

— Fiz tudo aquilo que todo mundo sabe que tem que fazer, mas que nunca faz — lembra.

Ao final do ano, cerca de oito meses depois, Jean chegou aos 120kg. Mesmo com muitas melhorias na saúde e no bem estar, como dormir adequadamente, da hipertensão, das dores musculares e articulares, Ibaldo tornou a engordar.

— Mantive o peso baixo por cerca de um ano e meio a dois anos. Como atleta, jogador de futebol americano, sem dúvidas, 2017 foi a minha melhor temporada. Tudo aquilo que tu perde tu está sujeito a reencontrar, querendo ou não. É errado querer perder peso. Peso tem que ser eliminado, extirpado, expurgado da tua vida. E, infelizmente, eu reencontrei os quilos que eu havia perdido — lamenta.

O ganho de peso e nova reviravolta

Mesmo com todo o empenho em se manter com baixo peso, ou, pelo menos mais magro do que aqueles 190kg, o jogador recorda que voltou a engordar depois de 2017.

— Eu jamais serei daquelas pessoas que acham uma desculpa, inventar um problema de tireoide, qualquer coisa do tipo. A culpa foi minha, relaxamento. Existem doenças que ajudam no ganho de peso, e devem ser encaradas como doenças mesmo, sem qualquer pudor ou vergonha. A ansiedade é uma delas, deve ser tratada. Quem sofre com ansiedade merece acompanhamento médico. Não basta ir no nutricionista, tem que tratar a cabeça, tem que ajudar o nosso subconsciente — explica.

Assim como na vida de muitos, a ansiedade e depressão são ocasionados por diversos fatores, e, em muitos casos, o paciente fica abatido, necessitando de ajuda médica especializada. Os gatilhos que fazem uma pessoa sofrer com essas patologias são diversos, mas, no caso do Ibaldo, ele recorda muito bem um dos principais motivos para sua mudança no comportamento. Após dez anos na mesma empresa, na mesma área de atuação, em 2018, Jean decidiu mudar de ares e investir em novos rumos profissionais.

Lembrando que como atleta, Ibaldo não era remunerado, logo, seu emprego e seu salário mantinham o sonho no esporte. Ele conta que ficou ansioso com os novos horizontes;

— Como eu disse: não é desculpa. Foi relaxamento meu, descuidei de mim, deixei de lado muita coisa que eu já tinha feito. Mas hoje vejo o quanto essa ansiedade causa coisas ruins, não só na balança. É importante cuidar de si, do corpo e da mente. Acompanhamento psiquiátrico está longe de ser coisa de louco. Consultar o psiquiatra regularmente me ajuda muito a enfrentar a ansiedade, a obesidade e até a própria psoríase — afirma.

Novos meios para emagrecer

O ano de 2019 chega e com ele Ibaldo decide dar um novo rumo para sua vida: perder peso. Mas, sem o ritmo que tinha em 2016, ele decide, então, fazer a cirurgia bariátrica.

— Agora, muito bem casado com Anne Borges, que me deu todo o apoio e suporte, resolvi que era o momento da cirurgia bariátrica. Mas, se engana quem acha que na bariátrica tu entra numa sala de cirurgia gordo e sai magro. Ela apenas te reduz o estômago e, dependendo do método, mexe no teu intestino. Não é uma coisa simples, pelo contrário, pesei todas as implicações do procedimento para chegar a essa decisão. Contudo, todo o resto depende de ti: perder peso antes da cirurgia, manter uma alimentação saudável após, praticar exercícios, tomar toda a suplementação necessária, entre tantas outras coisas. A bariátrica é uma etapa dentro de um contexto maior e, ao contrário do que muita gente pensa, ela não é exatamente definitiva. Tu pode ter reganho de peso caso não siga as orientações médicas — elucida.

Resultados satisfatórios

Com a nova perda de peso, Ibaldo conta que muita coisa melhorou em sua vida cotidiana.

— Os exames melhoraram bastante. Quem faz bariátrica precisa manter os exames em dia, aliado ao acompanhamento médico e nutricional, já que os exames são quem vão indicar qual a tua necessidade de suplementação, uma vez que a cirurgia leva à perda de absorção de alguns nutrientes e vitaminas. Mas, não são somente ganhos clínicos. Há muitos benefícios psicológicos. Tu te sente melhor, mais saudável, mais auto confiante. Tu deixa de passar por certos constrangimentos que parecem tolos, porém, que a pessoa acima do peso sabe como são: esbarrar nas coisas, deixar de ter desconforto ao ir no cinema, ao dividir um banco do ônibus, até para passar na roleta. Parece piada, pode soar engraçado, mas, são situações do dia a dia que levam à gordofobia, que, como todo preconceito, só reflete a ignorância de uma sociedade egoísta. Claro que a pessoa deve estar bem consigo mesma, magra ou gorda. É claro que a redução do peso traz ganhos clínicos e psicológicos que levam à melhoria da qualidade de vida. Estou muito feliz comigo e sei que depende de mim me manter assim — finaliza.

Hoje Ibaldo está com 115kg e retornou ao Santa Maria Soldiers, mas, devido à pandemia de SARS_CoV-2 – o vírus que causa a COVID-19 -, o time não está treinando.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias, no Instagram em @futebolamericanobrasil_ e curta-nos no Facebook.

Leave a Comment