A Federação Brasiliense de Futebol Americano está sob novo comando

A eleição para composição da nova diretoria executiva da Federação Brasiliense de Futebol Americano (FBFA), para o quinquênio 2016/2021, foi realizada na última segunda-feira (27). A chapa eleita assume o mandato de forma unânime e conta com nomes já conhecidos no cenário do futebol americano, tanto dentro, quanto fora do Distrito Federal.

Confira como encerrou a temporada 2016 do campeonato candango

A diretoria executiva, que assume a federação a partir do dia 1º de julho deste ano, conta com a presença de Diego Fernandes, como presidente; Guilherme Rasi, como vice-presidente; Raphael Negreiros, como diretor financeiro; e Dionísio Rodrigues, como secretário-geral. Raphael Negreiros é o único membro que compôs a diretoria anterior e que permanece no corpo diretivo da FBFA.

Em um cenário complicado devido aos problemas com a utilização dos estádios do Distrito Federal, a nova diretoria assume a federação com uma proposta de fortalecer o futebol americano no cenário esportivo. Confira alguns pontos da proposta defendida pela diretoria eleita:

a) incentivar a prática e aumentar o número de fãs popularizando o esporte;

b) trabalhar junto a Câmara Legislativa do Distrito Federal, para criar leis que possibilite a expansão e valorização do esporte;

c) elaborar o regimento interno e o manual de conduta da Federação;

d) manter em seu quadro de filiados apenas equipes que estejam legalmente registradas junto a receita federal;

e) implantar o conselho disciplinar da FBFA;

f) trabalhar junto ao Governo do Distrito Federal para conseguir um espaço destinado a construção de um campo para a prática do futebol americano;

g) tornar o campeonato candango e flag football atrativo para investidores, patrocinadores e/ou parceiros.

O novo presidente ressaltou que a FBFA terá um grande desafio em fazer com que o futebol americano conquiste definitivamente o seu espaço no direito de uso dos estádios do Distrito Federal, mas que pretende trabalhar esse problema da melhor forma possível.

— Infelizmente o nosso calendário choca com o do futebol tradicional e temos que encontrar a melhor solução para que ambos os esportes possam utilizar os campos disponíveis. Além disso teremos com um principal desafio a popularização e evolução técnica do futebol americano, de modo a agregar valor ao esporte, e assim, gerar um ambiente mais favorável à obtenção de incentivo a federação, ao campeonato e aos times federados. Tenho certeza que essa gestão construirá um novo momento para a nosso esporte — finalizou Fernandes.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

Leave a Comment