Goal line formation da defesa dos Tubarões do Cerrado garante o título do Centro-Oeste contra o Sorriso Hornets

Nakamura ergue o troféu da conquista simbólica do Centro-Oeste pelos Tubarões do Cerrado. Foto Photo com PH

Em um jogo emblemático, onde duas organizações buscavam o título inédito da Conferência Centro-Oeste do Brasil Futebol Americano (BFA),os Tubarões do Cerrado receberam a visita do estonteante Sorriso Hornets, no estádio do Bezerrão, em Gama, no Distrito Federal. O evento foi disputado neste domingo (18). O duelo eletrizante só foi decidido nos últimos instantes a favor do time da casa, que segurou o placar em 13 a 7.

Saiba como estão os playoffs do BFA

As duas organizações chegaram a final de conferência como os dois melhores programas no lado defensivo da bola. Tanto que as unidades praticamente dominaram durante a partida inteira.

Foram quatro three and outs seguidos no arranque do jogo. Os Hornets só conseguiram a façanha de alcançar o primeiro first down do embate em seu terceiro drive. Mesmo assim, a campanha não foi capitalizada em pontuação.

Os Tubarões tentaram devolver na mesma moeda. Os donos da casa executaram um plano de jogo que posicionou a unidade de ataque em redzone e dentro da margem para chutar um field goal. Entretanto, o placekicker #7 Victor Fialho desperdiçou a primeira oportunidade de inaugurar o marcador.

Antes de terminar o primeiro tempo, o signal caller #12 Lucas Tojal distribuiu passes no relvado para avançar no território adversário. O quarterback conectou o receiver #13 Ewan “B2” Nunes para touchdown. Fialho desperdiçou o PAT. 6-0.

Depois do intervalo, o kick returner #14 Ewander “B1” Nunes tratou de deixar o TdC em uma ótima posição no gramado, quando retornou o kickoff até a linha de 30yd do campo de ataque. No hike seguinte, a dupla Tojal-Nunes “B2” tratou de ampliar o marcador com uma big play para touchdown. Desta vez, Fialho acertou o extra point.

O roster de Sorriso respondeu imediatamente. O signal caller #2 Edilson Kovaleski mudou o sistema para efetuar quick releases em rotas curtas. Quando a defesa dos Tubarões se posicionou horizontalmente, o running back Everton da Silva aproveitou o espaço para chegar à endzone. O special team descontou com o acerto do chute de bonificação.

Mais tarde, os mandantes tiveram nova oportunidade de majorar o placar. Os Tubarões entraram e field goal range, mas Fialho novamente perdeu a chance de arrematar a bola entre os postes.

O cenário dos Hornets ficou ainda mais desolador, quando o quarterback Kovaleski liderou uma campanha próxima da goal line dos brasilienses. Os Tubarões conseguiram elevar um muro, em quatro chances de QB sneak de Kovaleski a poucos metros de sua meta. Na última tentativa, o signal caller do Mato Grosso ainda sofreu um fumble para decretar o turnover on downs.

Mudando a filosofia de jogo para queimar o relógio, os mandantes apostaram no jogo terrestre. A defesa dos Hornets usou todos os artifícios para recuperar a posse. Os visitantes ainda contaram com um erro do punter #6 Rafael Pimentel, que sofreu o tackle a 8yd da endzone e a quatro segundos a serem jogados.

O derradeiro snap da partida saiu ruim. Kovaleski no desespero lançou em direção a endzone, porém foi interceptado pelo safety Felipe, que garantiu o título simbólico do Centro-Oeste. Final 13-7.

O resultado coloca os Tubarões do Cerrado pela primeira vez na semifinal da elite brasileira. O próximo compromisso será contra o campeão do Nordeste: o João Pessoa Espectros. O evento está pré-agendado para o dia 2 de dezembro, no Estádio Nacional de Brasília. Como na temporada de 2017 os nordestinos receberam o jogo de semifinal, desta vez, serão os ocidentais que receberão o mando.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

Leave a Comment