Juventude confere acordo de dois anos com ex-receiver do São José White Sharks Istepôs

Ferreira (e) apresenta Almeida no Jaconi. O jogador pode ser um coringa para o coach Mota no ataque do Juventude. Foto Juventude/Divulgação

É quase todos os dias um anúncio de novos atletas no Rio Grande do Sul. A free agency nesta offseason gaúcha está a mil. Apresenta um mercado promissor. Vide que as direções mostram boa estrutura para receber diversos atletas de outras localidades, fora do seu núcleo comunitário. Nesta quinta-feira (2), o presidente do Juventude, Eduardo Ferreira, anunciou o mais recente reforço para a temporada 2017 do campeonato gaúcho e Superliga Nacional. Vem de Santa Catarina o ex-wide receiver do São José White Sharks Istepôs e Itapema White Sharks, Marcos Vinícius de Almeida.

Saiba como foi a temporada 2016 do campeonato gaúcho e Superliga Nacional



O atleta de 26 anos, 1.86m e 89kg chegou em Caxias do Sul hoje e foi apresentado no estádio Alfredo Jaconi. Segundo Ferreira, o acordo com Almeida é de dois anos no clube. Diferente de outros jogadores do passado, o catarinense de Xanxerê não exercerá função dupla dentro da equipe. O presidente do Ju confirmou que ele chega no roster para ser somente receiver. Uma das tendências das equipes brasileiras de solidificar especialidades para aproveitar um melhor desempenho dos atletas dentro do grupo.

A mudança de cidade, principalmente, de Estado, foi um dos motivos para Almeida aceitar o desafio de atuar pelo Juventude.

— Bom sempre é difícil uma mudança, mas sempre tive vontade de morar no Rio Grande do Sul. Troquei o WSI pelo Juventude porque gostei muito do projeto e me senti em casa, além de que Juventude estará entre os melhores times do Brasil — comentou Almeida.

Almeida demonstrou bom caráter dentro e fora dos gramados, tanto que tem o reconhecimento de um dos grandes quarterbacks da Região Sul. O ex-companheiro de WSI e White Sharks, Igor Clemes, crê que o colega ainda tem chances de aparecer no Brasil Onças.

— Sempre gostei muito dele em campo e fora, um dos melhores wide receivers que já joguei. Tem um catch muito bom, executa muito bem as rotas e é muito versátil em campo. Pode jogar de slot, wide out, running back e, quando necessário, também faz passe. Um grande jogador. Se o pessoal do Juventude investir nele, dando apoio extra campo, como academia, suplementação e condições de treino, tenho certeza que ele tem potencial para chega na Seleção Brasileira — disse Clemes.

Uma carta na manga para a comissão técnica

Um dos possíveis desafios neste começo de trabalho será a afinidade dentro de campo com o jovem quarterback Eduardo Cauzzi, que tem uma experiência menor que Clemes.

— Acredito que a falta de experiência do Eduardo não afetará em nada, pois estamos treinando firme para passar toda a confiança para ele — explicou Almeida.

Por ser um atleta versátil no ataque, Almeida pode ser um coringa no sistema ofensive do head coach Wesley Mota. Uma aposta pode ser posicionar o catarinense no lado oposto do receiver Vinícius Pacheco, com o intuito de espalhar a defesa adversária horizontalmente e confundir o rival. É a oportunidade dos caxienses de voltar a utilizar o spread offense, como foi no título gaúcho de 2015 com Tim Lukas, Ricardo Miller e Diego Oliveira.

— Posso atuar em qualquer lugar no ataque, mas meu foco é me tornar um dos melhores recivers do País. Estou à disposição da comissão técnica. Acredito que eles farão um excelente trabalho e levarão o Juventude ao título nacional — completou.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias, no Instagram em @futebolamericanobrasil_ e curta-nos no Facebook.

Leave a Comment