Paraná bate São Paulo Mean Machine e se torna bicampeão do Torneio de Seleções U20

Paraná conquista pela segunda vez o Torneio de Seleções da CBFA. Foto Letícia Moura

Em partida única, a temporada do Torneio de Seleções U20 foi disputada neste último domingo (24), em Leme, entre São Paulo Mean Machine e Paraná. O atual campeão nacional derrotou os mandantes pelo placar de 23 a 17, em um thriller no final do confronto e decidido somente no overtime.

Saiba como foi a temporada a final do Torneio de Seleções U19 de 2018

Os visitantes aproveitaram um vacilo do Mean Machine logo no arranque da partida, quando o special team falhou na execução de um punt. O bad snap resultou com a bola a caminho da endzone de São Paulo, que foi recuperada por João Leonardo Muller a anotar o touchdown ao Paraná. O PAT foi desperdiçado pelos paranaenses.

Durante o segundo período, a unidade de ataque sulista entrou em field goal range. Na oportunidade, o placekicker Henrique Aguiar ampliou o marcador ao arrematar com sucesso o chute aos postes.

Dentro do two minute warning, os donos da casa pareceram esboçar uma reação. Os paulistas visitaram a redzone rival pela primeira vez. Porém, a defesa paranaense tratou de forçar o turnover on downs para garantir as duas posses de bola de vantegem.

Após o halftime break, São Paulo novamente ameaçou a meta do Paraná, desta vez, em um complicado field goal de 47yd, que foi perdido.

Com o andamento do último quarto, o signal caller Matheus Sato aproveitou para planear o jogo terrestre, seguido de screen passes parar consumir o relógio. O drive chegou a adentrar a redzone de São Paulo, mas uma situação de quarta descida para oito jardas foi mal executada, o que ocasionou o turnover.

Com pouco mais de cinco minutos a serem jogados, o Mean Machine iniciou a reação. O quarterback Miguel conectou o wideout Souza para touchdown. O special team da casa conferiu o PAT.

Já dentro do two minute warning, os comandados do head coach paranaense, Adan Rodriguez, falharam em gastar o tempo. O cenário piorou com um fumble recuperado pela defesa de São Paulo. Com a posse de bola novamente em mãos, a campanha foi capitalizada com um touchdown anotado pelo halfback Prince. Novamente os especialistas acertaram o extra point.

Com 58 segundo segundos a serem jogados, a unidade de ataque do Paraná operou o milagre de atravessar o relvado em 70yd. A campanha encerrou com a culminação do touchdown marcado pelo fullback Marcos Picolo em uma corrida curta de 1yd a nove segundos do fim. O running back Eduardo Lopes ainda converteu o try de dois pontos.

Mas, quem achou que a partida já tinha acabado, se enganou. Após um ótimo retorno e uma falta da equipe paranaense, os paulistas tiveram a chance e empataram a partida, num field goal de cerca de 35 jardas, com o relógio zerado, o que levou a partida para o overtime. 17-17.

As duas primeiras posses de cada equipe na prorrogação terminaram em field goals perdidos. Em sua segunda chance, os mandantes novamente desperdiçaram um field goal, em um chute curto de 26yd.

Os paranaenses não desaproveitaram a segunda oportunidade. Lopes encontrou espaço no front seven adversário para ultrapassar a gola line pela segunda vez e decretar o triunfo e o bicampeonato do Paraná. Final 17-23.

— A partida foi muito difícil, a defesa de São Paulo estava fechando bem os gaps, ficando bem difícil de correr. Mesmo assim, conseguimos encaixar algumas big plays, quebrando alguns tackles e conseguindo várias jardas. No final, foi um instinto. Deus abençoou a gente e eu consegui quebrar três tackles e anotar o touchdown — comentou Lopes ao FA Paranaense.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

Leave a Comment