Primeiras fundações para o estádio do Timbó Rex passam para 2023

Primeiro módulo da T-Rex Sports Arena será construido em 2023. Imagem Timbó Rex/Divulgação/Futebol Americano Brasil

Após quase quatro anos do lançamento do projeto mais ousado do futebol americano praticado no Brasil, o Timbó Rex entra em uma nova fase para tirar a T-Rex Sports Arena do papel. O programa de Santa Catarina ingressa nas etapas finais das documentações necessárias para realizar a captação de recursos com o intuito de erguer o primeiro módulo do empreendimento em 2023 – cujo o plano inicial já era receber jogos em 2023, mas passará para 2024.

Veja o lançamento do projeto da T-Rex Sports Arena

No momento, o Rex necessita conseguir a licença ambiental – cujo o projeto arquitetônico precisa manter 30% da mata verde do terreno cedido pela Prefeitura e Câmara de Vereadores -, além da finalização do projeto de engenharia.

O moderno estádio está previamente orçado em R$ 25 milhões e com capacidade para receber 6 mil fãs, o que configuraria como o segundo maior estádio da Região do Vale do Itajaí, atrás somente o Estádio Dr. Hercílio Luz, casa do clube de futebol Marcílio Dias, que pode atender dez torcedores a mais.

Conversamos com o presidente Igor Rick para saber como anda o planejamento de execução do moderno local esportivo, que ainda almeja ser o centro de referência de entretenimento na região. A T-Rex Sports Arena será construída no bairro Araponguinhas, próxima ao prédio do Consórcio Intermunicipal do Médio Vale do Itajaí (Cimvi) e do Parque Girassol.

Confira abaixo a entrevista na íntegra

Futebol Americano Brasil – Como anda o próximo passo para tirar a T-Rex Arena do papel, no caso o projeto de engenharia? Há alguma previsão de que esta etapa fique pronta?

Igor Rick – No mês passado (julho) ficou pronta a matrícula da unificação dos terrenos que nos foram cedidos. Em decorrência, encaminhamos os mesmos para a secretaria de desenvolvimento da prefeitura para realizarem as licenças ambientais. Acredito que este passo vá, pelo menos, até o final do ano. Em concomitância, estamos em conversas com a Uniasselvi para realizarmos em conjunto o projeto de engenharia civil, com alunos formandos. No entanto, a pandemia deu uma travada geral. Esta etapa deve transcorrer até final de 2021.

FABR – O programa já conseguiu a licença ambiental, junto com os parceiros GTS Engenharia e Cimvi, para prosseguir com o empreendimento, já que é exigência manter 30% da mata verde no espaço cedido pela Prefeitura de Timbó?

Rick – Estamos exatamente neste ponto do projeto, conforme mencionado na pergunta anterior. Assim que cumprida esta etapa, pretendemos dar início a terraplanagem e preparação do campo, para que possamos ao menos realizar treinos.

FABR – O quanto já foi captado do orçamento previsto de R$ 25 milhões para edificação do empreendimento?

Rick – A captação se dará tão somente após o envio e aprovação dos projetos pelo Governo Federal. O projeto já está devidamente escrito e preparado, mas antes precisamos concluir as licenças ambientais e o projeto de engenharia civil para serem encaminhados juntamente.

FABR – Existe algum prazo para que seja lançada as primeiras fundações ou a pedra fundamental da arena?

Rick – Como a conclusão do projeto de engenharia civil deve ocorrer somente no final de 2021, o projeto será encaminhado para o Governo Federal em 2022, para então iniciarmos as captações. Acredito que as primeiras fundações devem dar início em 2023.

FABR – O projeto que foi lançado em 2016 previa um estádio com capacidade para 4 mil fãs. Nos últimos anos, o projeto arquitetônico foi atualizado e a capacidade ampliada para 6 mil espectadores. O que leva a crer que esta demanda será suprida, quando há uma fuga de consumo nos eventos de futebol americano pelo País?

Rick – Estamos constantemente trabalhando para fomentar a modalidade e acreditamos no potencial desta. No caso de Timbó e região, existe uma certa escassez de equipamentos esportivos do porte da Arena T-Rex, o que causará bastante interesse, até porque haverá outros atrativos além do campo de jogo. Restaurante, pub, loja e universidade serão atrativos, assim como o Parque Girassol, que será construído em frente a Arena. Tudo isso trará um grande movimento para a Arena.

FABR – O planejamento de receber jogos em 2023 ainda está mantido como meta, ou o cenário pandêmico de SARS-CoV-2 no Brasil freou a captação de recursos pelas leis de incentivo?

Rick – Acredito que em 2024 poderemos receber os primeiros jogos na Arena. Entretanto, apenas com o primeiro módulo concluído. Os demais módulos serão realizados nos anos conseguintes.

FABR – A concessão de 20 anos do terreno cedido pela Prefeitura e Câmara de Vereadores em 2019 já começou a contar ou será calculada a partir da construção da arena?

Rick – Já está contando. Mas nada impede que seja renovado por igual período.

FABR – Além do programa de futebol, que outros eventos a arena pode receber para que sejam capitalizados recursos através da estrutura? Há planos para receber eventos como o Encontro de Veículos Antigos, Cultura Rock, Festival do Chopp, Cuca e Dança e apresentações que ocorrem normalmente no Parque Henry Paul, ou até mesmo shows maiores.

Rick – Todos estes eventos mencionados poderão ser realizados na Arena. Este é o plano. A estrutura será muito qualificada para restringirmos tão somente a partidas de futebol americano. A movimentação de eventos será constante e temos convicção que será o principal local de entretenimento da região.

Relembre o vídeo institucional do projeto da T-Rex Sports Arena

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias, no Instagram em @futebolamericanobrasil_ e curta-nos no Facebook.

Leave a Comment